19 de August de 2018

Operação Esculápio: Famema informa à Matra dados do seu orçamento

Medicina e Enfermagem da Famema são destaques no Guia do Estudante 2014
Fachada do prédio da Faculdade de Medicina de Marília, Famema. Foto: Divulgação.

No dia 08 de julho a Polícia Federal de Marília deflagrou a Operação Esculápio a fim de investigar suspeitas de irregularidades ocorridas em licitações e contratos firmados pela Famar (Fundação de Apoio à Faculdade de Medicina de Marília) com empresas prestadoras de serviços médicos. A força tarefa aconteceu duas semanas após uma comissão especial de auditoria ser nomeada pela Secretaria Estadual de Saúde para investigar a situação do Complexo Famema.

As investigações federais tiveram como base denúncias recebidas pelo Ministério Público Estadual e pelo relatório final da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Fumes – Famar apresentado em dezembro de 2012 pelos vereadores Wilson Damasceno (PSDB) e pelos ex-vereadores Júnior da Farmácia (PTB) e Eduardo Gimenes (DEM). Na época, a MATRA demonstrou apoio à CPI, pois também estava preocupada com a questão. Em 2008 a entidade havia solicitado providências ao MPE (Ministério Público do Estado de São Paulo).

Após o início das investigações da Operação Esculápio, a MATRA passou a divulgar em seu site informações sobre o andamento do inquérito. Diante das publicações, o departamento de comunicação da Famema entrou em contato com a entidade para informar sobre a receita, despesa, teto SUS, custeio e orçamento do Complexo.

O leitor do Marília Global pode conferir a nota enviada à Matra, na íntegra, no site da própria ONG

Entre na conversa...