18 de September de 2019

Vamos ficar apenas no debate político-econômico e político-cultural?

 

Na semana passada, o Itamaraty divulgou nota em que considera “inaceitável” a escalada da violência em Gaza e condena “energicamente o uso desproporcional da força por Israel” no conflito, que já matou 747 palestinos. Na mesma nota, o Brasil anunciou que chamou seu embaixador em Tel Aviv para consultas. O Ministério das Relações Exteriores israelense reagiu em nota, declarando-se “desapontado” com a decisão do governo brasileiro que, segundo o órgão, “não reflete o nível das relações entre os dois países e ignora o direito de Israel se defender”.

Israel afirma ainda que a atitude brasileira não contribui para promover “a calma e a estabilidade” no Oriente Médio e que dá “vento favorável” ao terrorismo, além de “naturalmente afetar a capacidade do Brasil de exercer influência”. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, disse, segundo a imprensa israelense, que a decisão do Brasil de chamar seu embaixador para consultas é uma demonstração das razões que levam o Brasil, apesar de ser “um gigante econômico e cultural, permanecer um anão diplomático”.

E então, vamos ficar apenas no debate político-econômico e político-cultural?

Anao
Foto: Humor Político

Entre na conversa...