Jornal online Marília Global irá organizar um encontro presencial para tratar da descriminalização das drogas

Operação Quinto Elemento para desarticular uma quadrilha especializada no tráfico de drogas sintéticas
Operação Quinto Elemento para desarticular uma quadrilha especializada no tráfico de drogas sintéticas

O julgamento no STF sobre a descriminalização do porte de drogas para uso próprio foi interrompido, na primeira quinzena de setembro, por mais um pedido de vista. Após os votos dos ministros Gilmar Mendes, Luiz Edson Fachin e Luís Roberto Barroso a favor da descriminalização do porte da maconha, Teori Zavascki pediu mais tempo para analisar o assunto.

Com o objetivo de chamar a atenção da população de Marília e região para os assuntos mais importante do momento, o Marília Global promove entrevistas com profissionais e autoridades. Estas matérias levam o título de “Especiais da Semana”, e se subdividem de acordo com o tema abordado.

Em nossa primeira edição, o tema abordado foi exatamente a descriminalização do porte de drogas para uso próprio, acompanhando o processo que corre no Supremo Tribunal Federal. Entre 29 de agosto e 26 de setembro, já foram realizadas e publicadas no jornal online 5 entrevistas e cerca de 12 matérias sobre o tema. 

As entrevistas com autoridades e profissionais de Marília e região estão abrindo um debate interessante sobre o tema em questão. São elas:

  1. 29/08/15 • Descriminalização da maconha é porta de entrada para outras drogas?. Vera Lúcia Lorenzeti Gelás, do Amor Exigente de Marília, e Mara Silvia, da Federação do Amor Exigente. A pergunta é, […]
  2. 30/08/15 • Descriminalização das drogas: vereador delegado questiona julgamento do Supremo e omissão da sociedade. Vereador Wilson Damasceno cobra postura da sociedade. Foto: Assessoria de Imprensa Contribuindo com a promoção do diálogo […]
  3. 05/09/15 • Advogado defende a descriminalização da maconha e prevê tratamento mais justo a usuários. O advogado criminalista mariliense Rubens de Oliveira. O advogado criminalista mariliense, Rubens de Oliveira, que atua em […]
  4. 19/09/15 • Drogas lícitas são a porta de entrada para drogas proibidas e usuários não podem ser criminalizados. “Imagina proibir uma pessoa de portar um remédio tarja preta, de alto poder alucinógeno”, indagou o professor doutor do curso de psicologia da Unesp de Assis, Jair Izaías Kappann. […]
  5. 3/09/15 • Para profissional da saúde, descriminalização é tardia e falta combate ao tráfico de drogas. A diretora técnica do Hospital Espírita André Luiz, de Garça, psicóloga Eliana Mara de Castro Boaretto, destaca, em […]

Ao lançarmos este segmento editorial, corremos um risco duplo. Primeiro, era a primeira vez que iríamos lançar uma série de matérias exclusivas e com conteúdos complexos, o que exigiria dos nossos leitores uma dedicação na leitura dos artigos online semelhante a nossa, na produção dos mesmos. O segundo risco estava associado ao próprio tema, polêmico como é a questão do uso e descriminalização das drogas, no Brasil. 

As opiniões e posições técnicas sobre o tema são as mais variadas possíveis. Em linhas gerais, há uma clara preocupação com o escalonamento do uso das drogas, caso a descriminalização seja aprovada no STF, nas entrevistas do vereador Damasceno e da presidente do Amor Exigente, Vera Gelas. O professor Kappann, professor na Unesp de Assis, dá um passo para trás e chama atenção ao fato de que o escalonamento do uso de drogas, como da maconha para a cocaína ou o crack, começa, na verdade, com as drogas lícitas: bebidas alcóolicas e remédios restritos (tarjas vermelha e preta). Já a diretora do Hospital Espírita André Luis, Eliana Boaretto, considera que a discussão no STF sobre o porte de droga ao usuário é independente da questão do tráfico, ou seja, caso não haja ações efetivas neste sentido, o tráfico vai continuar forte independentemente da descriminalização ser aprovada, ou não. A separação entre o usuário de drogas enquanto um problema de saúde ou um problema criminal também foi o foco da entrevista do advogado criminalista, Rubens de Oliveira. Para ele, a descriminalização vai permitir um acesso maior do usuário a ajuda.

Diante de resposta positiva dos nossos leitores à estas instigantes conversas, inclusive com o reconhecimento do trabalho pela Câmara Municipal de Marília, consideramos que há demanda para mais trocas de experiências entre eles e os profissionais e as autoridades que gentilmente expuseram seus conhecimentos, opiniões e experiências em nossas páginas na internet. Portanto, é com enorme satisfação que anunciamos a produção de conversas presenciais.

O evento ocorrerá ainda neste ano e contará com a participação de autoridades e profissionais da área, e será voltada aos pais e responsáveis que querem se interar mais sobre a questão das drogas, mas também aos profissionais do direito, da saúde, da educação, da assistência social e demais que atuam com usuários de drogas. Mais informações serão divulgadas em breve.

Sobre Beto Cavallari 181 Artigos

Sou editor do jornal online MG e escrevo sobre política, cultura, tecnologia e educação.

Entre na conversa...