18 de September de 2019

Administração diz que não interfere nos acordos comerciais entre supermercados e Sindplus

Após o mal estar inicial com a implementação do cartão alimentação, a Secretaria Municipal da Administração informou hoje (26) que a empresa Sindplus Card vai formalizar nos próximos dias uma nova proposta comercial para as grandes redes supermercadistas de Marília que ainda não aderiram ao programa.

A Sindplus Card foi a vencedora do processo licitatório para o gerenciamento do Cartão Alimentação, que é utilizado pelos servidores municipais da ativa e aposentados. A empresa informou a Secretaria que haverá uma proposta comercial definitiva para as grandes redes de supermercados da cidade, como o Tauste, Confiança, Kawakami e Preço Certo.

O atual secretário da Administração, Rodrigo Zotti, salientou que “a adesão é facultativa e que a Prefeitura não pode interferir nos acordos comerciais entre as partes envolvidas”.

Cartão Alimentação

Atualmente, o cartão alimentação possui o valor de R$ 125,00. Ele é distribuído individualmente para cerca de 7.000 servidores públicos municipais – entre ativos e inativos.

A sua implementação, porém, gerou questionamentos por parte de um grupo de servidores descontentes com a negociação acertada entre Prefeitura de Marília e Sindimmar (Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos Municipais de Marília). Eles justificaram o descontentamento no fato de a Câmara Municipal pagar o dobro em vale-alimentação aos seus servidores, isto é, R$ 250,00.

Outra questionamento feito em relação a substituição da entrega mensal da cesta básica pelo uso do cartão partiu da Matra. A Organização de interesse público questiona os pagamentos feitos recentemente à fornecedora de cesta básica, se a mesma deixou de ser entregue pelo poder público municipal.

No dia 21 de julho, a Prefeitura pagou fora da ordem cronológica, ou seja, na frente de outros fornecedores, a quantia de R$ 1.012.414,60 à empresa Agro Comercial da Vargem Ltda e o valor de R$ 292.038,99 à empresa Comercial João Afonso Ltda.

Licitação

Sem mencionar o valor pago e os pagamentos feitos à empresa fornecedora de cestas básicas, Zotti falou sobre o processo licitatório que substitui a cesta básica pelo uso do cartão.

Ele disse que o certame foi realizado com total lisura e atendeu as exigências estabelecidas pela lei. Ele mencionou que a licitação foi avaliada e aprovada pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e contou com o aval da ACIM (Associação Comercial e Industrial de Marília) e da APAS (Associação Paulista dos Supermercadistas).

Entre na conversa...