18 de September de 2019

Supermercados paulistas geram 1.552 vagas em agosto

Com a alta dos preços, consumidor opta pela mudança de hábitos de compra nos supermercados de Marília e região
Com a alta dos preços, consumidor opta pela mudança de hábitos de compra nos supermercados de Marília e região

Considerando todas as atividades econômicas, a geração de emprego formal no Brasil surpreendeu negativamente em agosto diante do fechamento líquido de 86 mil postos de trabalho. No estado de São Paulo, entre contratações e demissões o saldo também foi negativo em 16.992 vagas.

[contextly_auto_sidebar]O setor supermercadista, no entanto, apresentou resultados que foram na contramão desta tendência. De acordo com levantamento mensal da Associação Paulista de Supermercados (APAS), somente em agosto houve um incremento de 1.552 vagas. No mês foram contratados 19.267 funcionários, ao passo que 17.715 foram demitidos.

De maneira comparativa, em agosto de 2014 houve um incremento de 5.248 vagas, enquanto em agosto de 2013 foram 5.081, ou seja, embora haja geração de emprego, o ritmo é muito inferior ao verificado nos anos anteriores.

Conforme explicou o gerente do departamento de Economia e Pesquisa da APAS, Rodrigo Mariano, na comparação com o mês de julho houve aumento de 0,30% e em 12 meses a alta no número de colaboradores no setor foi de 1,06%, totalizando 512.287 funcionários empregados no setor supermercadista em todo o estado de São Paulo.

Os dados são referentes aos comércios varejistas listados entre os supermercados, hipermercados, atacados de produtos de alimentos e bebidas, minimercados, mercearias, armazéns e comércio de hortifrutigranjeiros.

Em se tratando apenas de supermercados e hipermercados, a evolução mensal dos empregos apresentou alta de 0,12%, o que representa 434 vagas adicionais, totalizando 352.209 colaboradores.

O setor supermercadista brasileiro soma 1.823.341 de empregados e, em se tratando de supermercados e hipermercados, há um total de 1.159.428 colaboradores.

Fim de ano

Com a proximidade das festas de fim de ano a expectativa é aumentarem as contratações, que cresceram consideravelmente nos meses de novembro e dezembro nos últimos anos.

Veja a evolução de vagas adicionais neste período:

2010 2011 2012 2013 2014
+ 10.323 colaboradores + 6.677

colaboradores

+ 11.031

colaboradores

+ 7.247

colaboradores

+ 8.111

colaboradores

Para 2015 a expectativa é que as contratações sejam inferiores às verificadas em anos anteriores. Assim, a projeção é de aproximadamente 4.000 vagas adicionais para os meses de novembro e dezembro.

“O setor supermercadista possui grande demanda por mão-de-obra, principalmente de colaboradores qualificados. Há algumas áreas que são mais carentes, como as áreas operacionais, como açougue, padaria, entre outras”, explicou o gerente da APAS.

Rodrigo endossa ainda que mesmo com a carência de mão-de-obra qualificada o setor vem contratando em patamar superior a outras atividades econômicas. “As contratações só não serão maiores porque estamos diante de um cenário macroeconômico que impacta na maior demanda dos consumidores, além de uma inflação mais elevada que reduz o poder de compra, impactando diretamente nas vendas do comércio como um todo”. E este impacto não é diferente para os supermercados, que apresentam desaceleração nas vendas na ordem de 1,88% de janeiro a agosto de 2015 em relação ao mesmo período de 2014.

Vale ressaltar que a rotatividade no setor também é alta e requer atenção no que diz respeito à contratação e retenção de talentos e é um dos pontos de atenção dos supermercados, que buscam solucionar investindo em treinamento e desenvolvimento de seus colaboradores.

Entre na conversa...