12 de December de 2018

Damasceno cobra secretário da Saúde em audiência pública

Vereador Damasceno (PSDB). Foto: Camar.
Vereador Damasceno (PSDB). Foto: Camar.

Em audiência pública municipal realizada na última quarta-feira (15), os vereadores puderam indagar o atual secretário municipal da Saúde, Hélio Benetti, sobre problemas de responsabilidade da pasta.

O vereador Wilson Damasceno (PSDB) levantou três importantes questionamentos à Benetti. Damasceno quis saber por que apenas o grupo alvo teve direito à vacina, e não toda a população. O vereador tucano apontou um dado preocupante, para justificar sua pergunta.

“Agora com seis mortes [pelo vírus H1N1] já confirmadas, quatro mortos estão fora do grupo prioritário. Daí a preocupação da população em relação a isso”, disse Damasceno.

Damasceno também questionou a gestão do atual prefeito, Vinícius Camarinha (PSB), que, nos três anos de administração não conseguiu resolver os problemas da falta de médicos nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde). O problema, apontou Damasceno, é que não há substitutos para os médicos que saem para gozar as suas férias e, por isso, “os médicos estão atendendo só no período da tarde”, disse.

Por fim, Damasceno se mostrou preocupado com as filas que se formam bem cedo nos Postos de Saúde. Devido a política de 12 atendimento no máximo, a população precisa madrugar na frente dos Postos de Saúde para conseguir atendimento. Para Damasceno, a grande maioria são de idosos que precisam se expor ao sereno, frio e chuva para entrar na lista de atendimento do dia.

Benetti tentou responder as perguntas. Sobre as vacinas, o secretário disse que o município não é responsável pelas compra e distribuição das vacinas. Disse também que nos anos anteriores sobravam cerca de 15 mil vacinas na cidade devido a falta de interesse da população. Este ano, segundo o secretário, foi uma situação “atípica”.

Sobre a falta de médicos, Benetti justificou de maneira evasiva dizendo que o município não possui um efetivo maior de médicos por causa da necessidade de se realizar “concursos públicos”. Para o secretário, isso representa uma “dificuldade”. É sabido que esta Administração sobrecarrega o teto de gastos públicos municipais com a folha de pagamento com nomeações de cargos comissionados.

Sobre o atendimento, Benetti desconhece que a população precisa chegar três ou quatro horas antes da abertura dos Postos de Saúde, que ocorre às 7h. Ele também disse que a Secretaria da Saúde ainda esta estudando um modo de fazer a entrega de medicamentos nas casas.

Para Damasceno, Benetti deixou a desejar já que foi para a audiência pública sem ter uma real noção do problema das filas formadas pelos idosos nos Postos de Saúde pela falta de agendamento. O vereador tucano também disse que Benetti não apresentou nenhuma solução concreta ao problema ao dizer que a Secretaria da Saúde tem apenas “pensado” sobre o que fazer. Enquanto isso, “os idosos ficam aguardando a abertura dos Postos no sereno, no frio e na chuva”, completou.

Entre na conversa...