Poesia bem humorada narra o dia quando o político foi enganado pelo “Cão”

Não é de hoje que o brasileiro se decepciona com campanhas eleitorais. Quando se junta alguns ingredientes para fazer o “bolo” e entregar para a população comer, o resultado político pode ser uma indigestão daquelas… ainda que, para algumas pessoas, tenha valido a pena se lambuzar com o doce.

Mas diferente de açúcar, sal, manteiga, farinha e chocolate, em campanhas eleitorais a receita do bolo é esta aqui:

  • Adicione a propensão que o povo tem de acreditar em salvações milagrosas;
  • Misture com alguns benefícios materiais, como um dinheirinho na mão, botijão de gás e a “quebra” de uma multa ou tarifa qualquer;
  • Jogue uma pitada de promessa da casa própria ou de emprego em órgão público;
  • Misture tudo com muita música, santinhos e um bando de assessores e cabos eleitorais.
  • Coloque para assar em fogo alto durante os 45 dias da campanha eleitoral.

Pronto, esta feito o bolo que adoça a boca, mas, dependendo do cozinheiro, pode dar uma indigestão daquelas. O Humoral ri e chora com a poesia de Maviael Melo, “Campanha eleitoral”, recitada no programa Sr. Brasil, na TV Cultura, em 2010.

Entre na conversa...