20 de October de 2019

Câmara aprova todos itens da pauta; extraordinária não é realizada

LEGISLATIVO

Plenário da Câmara Municipal de Marília

Os 13 vereadores aprovaram, na noite desta segunda-feira (19) todos os projetos que constavam na pauta da Ordem do Dia. Não foi realizada Sessão Extraordinária, para votação de outros projetos, como acontece em algumas circunstâncias. Mas o próprio vereador Herval Rosa Seabra (PSB), presidente do Legislativo, já afirmou que uma reunião extra pode ser realizada para votar o projeto que permite a concessão do Daem (Departamento de Água e Esgoto de Marília) à iniciativa privada.

Inclusive, esse tema foi abordado durante o pequeno expediente da sessão desta segunda por três parlamentares. Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa (PT) alertou para a presença de um advogado do Executivo, identificado como Júnior, que estaria “disfarçado” no Legislativo, na noite de terça-feira passada, decidindo que deveria entrar ou não na Câmara, para acompanhar a sessão.

Cícero do Ceasa afirmou inclusive que teria informações de que algumas pessoas receberam R$ 50 para estarem nas galerias, a fim de defender o projeto de interesse do Executivo. “É inadmissível que uma pessoa estranha ao Legislativo, cargo comissionado do Executivo, estivesse no interior do prédio da Câmara, dando ordens para cargos comissionados da administração e decidindo que deveria entrar na sessão”, denunciou.

Seabra rechaçou as afirmações de Cícero do Ceasa, afirmando que é a presidência da Câmara quem tem “autoridade” sobre o que deve acontecer no Legislativo. “O que ficou acordado, com a Polícia Militar, é que não poderia exceder o limite de 70 pessoas que é permitido nas galerias. Agora, se o senhor (Cícero do Ceasa) quiser discutir a questão de quem pagou para estar aqui, podemos ir mais a fundo. Temos irregularidades de lado a lado”, admitiu o presidente.

Wilson Alves Damasceno (PSDB) também usou a tribuna, durante o Pequeno Expediente, para apontar que alguns vereadores da base aliada já haviam afirmado, em 2014, que eram contra a concessão ou privatização do Daem. Ele citou José Ferreira de Menezes Filho, Marcos Custódio, Luiz Eduardo Nardi e o presidente do Legislativo, Herval Seabra. “Está tudo gravado e disponível no Youtube, no canal do jornalista Hailton Medeiros, o Hora H. É só acessar lá e todos verão o que os parlamentares disseram”, afirmou (Vídeo pode ser acessado aqui).

Nardi foi até a tribuna e afirmou que aquele posicionamento se referia a “aquele momento”, em que a situação era outra. Depois, se exaltou e passou a gritar, afirmando que não poderia permitir o tipo de pressão que foi exercido durante a sessão da última terça-feira. “As pessoas que estavam aqui não queriam debater ou dialogar sobre o problema. Elas vieram aqui para ofender. Elas nos xingaram de vários nomes, que se for preciso repito aqui. Mas isso não podemos admitir. O debate tem de ocorrer entre nós, os 13 vereadores e não por grupos que querem antecipar a disputa eleitoral do ano que vem”, esbravejou.

Entre na conversa...