15 de December de 2018

Após 30 anos, artista Kinkas Caetano retorna para Marília e faz exposição no Le Marché Bistrô

Arte e Cultura

Ele é brasileiro, nascido no Espirito Santo, “adotado” pelo Rio de Janeiro, que já foi casado com uma mariliense (Cláudia Peçanha, já falecida), que conheceu em Paris (França). Esse laço com Marília o fez visitar a cidade e dar sua contribuição no cenário local, fazendo a identidade visual do Colégio Orbe, na década de 80. Após 30 anos distante da cidade, o pintor Kinkas Caetano voltou em grande estilo, com uma exposição de telas no Le Marché Bistrô, localizado na rua Álvares Cabral, 190. O coquetel de abertura foi na última terça-feira, com a presença de dezenas de pessoas, que foram conhecer a obra do autor e reencontrar o amigo.

Em entrevista ao Marília Global, Kinkas Caetano destacou que faz suas obras sem a pretensão de agradar esse ou aquele. “Gosto da liberdade de criar aquilo que me chama a atenção. Não gosto de patrões e atuo como free lancer. Coleciono tapetes, faço design para os amigos e me divirto produzindo arte”, destacou. Para o pintor, voltar para Marília depois de tantos anos, é uma oportunidade de reencontrar os amigos. “Alguns viajaram 2h30 para vir até a exposição e me encontrar. Isso é muito gratificante e me deixa bastante feliz”, destacou.

Kinkas Caetano com Malau, do Colégio Orbe. História de 30 anos relembrada Foto: Carlos Teixeira
Kinkas Caetano com Malau, do Colégio Orbe. História de 30 anos relembrada Foto: Carlos Teixeira

Enquanto conversava com a reportagem, ele foi abordado por Maria Alcina Bastos Nasrauí, a Malau, atual mantenedora do Colégio Orbe. A educadora queria conhecer o artista e durante a conversa soube que ele foi o responsável por toda a identidade visual do Colégio Orbe, que já traz em seu conceito toda a preocupação ambiental. “E isso foi há 30 anos, quando a questão ambiental nem estava com tanto foco como agora. Fiquei muito feliz em conhecer o Kinkas Caetano e saber da participação dele no Colégio. Espero que um dia ele volte com mais tempo, para nos visitar e ver que todo o trabalho concebido por ele continua sendo desenvolvido”, explicou.

Exposição

Com entrada franca, exposição será realizada até o dia 29 de agosto, das 20h às 23h, no restaurante francês. O trabalho exposto no Le Marché é  definido como figurativo pelo autor, tem cores fortes, elementos que remetem à arte abstrata, no estilo que lhe trouxe reconhecimento no mercado das artes e que não deixa margem para neutralidade por parte de quem o observa.

As telas vibrantes estão cheias de totens vivos, incluindo peixes, aves, olhos, e dorsos femininos. Estes ícones figurativos são misturados em formas orgânicas e geométricas, intercaladas com faixas de cor pura, sugerindo influência do expressionismo abstrato e influências do trabalho de artistas como Asger Jorn, Cy Twombly e Willem de Kooning.

Com coordenadoria e montagem de Roberto Cimino e Nelson Amorim, a exposição conta com o apoio cultural da Life, operadora de telecomunicações; Roberto Cimino, Nelson Amorim e arquitetos; Le Marché Bistro & Empório Gourmet; Enoteca Decanter; Atual Turismo; Casa Sol; TV Sol; Quality Sun Valley e Silenzio Esmeralda.

Quem é Kinkas Caetano

Kinkas Caetano nasceu no Espírito Santo, cresceu no Rio de Janeiro, mas vive e trabalha em Paris há aproximadamente 30 anos, onde é artista plástico, visual e designer gráfico. O artista faz ilustrações para revistas e jornais na França, como o Le Monde e o Nouvelle Observateur; instituições como a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura);  Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a Anistia Internacional, figuram entre os clientes de catálogo do artista.

Entre na conversa...