15 de December de 2018

Entre as piores gestões de farmácias públicas do estado

contagem física de remédios não bate com dados do estoque

Ucaf (Unidade Central de Assistência Farmacêutica) de Marília. Foto: Jornal da Manhã.
Ucaf (Unidade Central de Assistência Farmacêutica) de Marília. Foto: Jornal da Manhã.

É o que aponta a fiscalização do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TC-SP) em farmácias públicas de 162 cidades paulistas.

A fiscalização ocorreu no dia 28 de junho na Unidade Central de Assistência Farmacêutica (Ucaf) de Marília. O Ucaf funciona na antiga Estação Ferroviária, ao lado do Terminal Urbano.

O TC-SP publicou ontem (18) o resultado da fiscalização. Marília ficou entre os cerca de 25% piores municípios na avaliação do órgão fiscalizador.

Diversas e graves irregularidades foram constatadas. São elas,

  1. Não existe luz de emergência no ambiente;
  2. Há umidade/mofo aparente;
  3. As condições do local em geral não são satisfatórias;
  4. O prédio não possui Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros;
  5. Os medicamentos/materiais estão encostados na parede;
  6. Existem medicamentos acondicionados em embalagem Terciária na farmácia;
  7. Não existe fonte alternativa de energia (gerador) para os refrigeradores no caso de falta de energía elétrica;
  8. Foram constatadas divergências na contagem física dos medicamentos em comparação com registros do controle de estoque;
  9. Não possui dados de estoque mínimo/estoque de segurança;
  10. Não possui dados de estoque máximo;
  11. Não foi realizado inventário;
  12. Não há identificação do paciente na retirada dos medicamentos;
  13. Não há controle de demanda não atendida.

Entre na conversa...