15 de July de 2019

Hospital capacita funcionários e forma Brigada de Combate a Incêndio

Brigadistas foram organizados por meio de um dimensionamento estratégicos por pavimento e área física. O objetivo é que possam intervir, em caso de incêndio, até a chegada dos Bombeiros. Foto: Divulgação.
Brigadistas foram organizados por meio de um dimensionamento estratégicos por pavimento e área física. O objetivo é que possam intervir, em caso de incêndio, até a chegada dos Bombeiros. Foto: Divulgação.

Cerca de 270 colaboradores da Santa Casa de Misericórdia de Marília participaram, durante cinco dias, do Treinamento para Formação de Brigadistas de Incêndio, ministrado pelo bombeiro da reserva Marcelo Mittermayer. A instituição conta com cerca de mil funcionários e recebe em suas instalações, diariamente, aproximadamente 5 mil pessoas.

[contextly_auto_sidebar]A capacitação é coordenada pelo Sesmt (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho), com apoio da diretoria e da coordenação de Infraestrutura. O trabalho envolve todas as áreas do hospital, a partir de um dimensionamento estratégico por pavimentos e área física. O objetivo é que os brigadistas possam intervir em caso de incêndio, tomando medidas de salvamento e contenção até a chegada dos bombeiros.

Já os colaboradores das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e Centro Cirúrgico passaram pelo treinamento com 100% do corpo funcional, conforme explica a enfermeira Sílvia Mara Ferraz de Assis, responsável pelo Sesmt da Santa Casa.

“O envolvimento foi muito grande e ficamos muito satisfeitos. Todo esse trabalho não está sendo feito apenas para o cumprimento de normas, mas porque temos consciência da importância da segurança para pacientes, visitantes, funcionários e parceiros que recebemos nas dependências do hospital”, disse.

Parceria

A formação da brigada de incêndio e a adequação dos sistemas de emergência, com instalação de alarmes, hidrantes, acessibilidade, entre outros recursos previstos em normas de segurança, são etapas fundamentais para obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros e Álvara de Licença do complexo de saúde.

Como a maioria das Santas Casas e hospitais filantrópicos funcionam em prédios antigos, as adequações exigem grandes investimentos, um desafio para as instituições que enfrentam o subfinanciamento da saúde. A solução tem sido a busca de parceiros No caso do hospital mariliense, o investidor é o governo federal.

No início deste ano, dois convênios foram assinados com o Ministério da Saúde, totalizando investimento de R$ 308.350 em dispositivos para Prevenção e Combate a Incêndio. O engenheiro Marcos Stroppa explica que as obras já foram concluídas e “estão em processo de vistoria pela fiscalização da Santa Casa”

Entre na conversa...