22 de November de 2019

Câmara rejeita abertura de CP para investigar fraude na licitação dos ônibus

A mesa diretora da Câmara de Vereadores Marília (Camar). Foto: Camar.
A mesa diretora da Câmara de Vereadores de Marília (Camar). Foto: Camar.

O placar já é conhecido pelo mariliense: 10×3. Durante a sessão camarária realizada ontem (15) os vereadores da base aliada rejeitaram mais um pedido de abertura de CP (Comissão Processante) para apurar irregularidades e indícios de ato de corrupção.

Desta vez o requerimento negado se refere à solicitação de investigação do processo licitatório que culminou na contratação das empresas de transporte coletivo Grande Marília e Sorriso de Marília.

 

O autor do pedido, José Ursílio, destaca que a Câma­ra não pode se omitir diante das evidências que coloca­ram a cidade no centro de um escândalo de repercus­são nacional.

Licitações fraudadas em 19 cidades do País foram descobertas em investiga­ção envolvendo as empresas de ônibus responsáveis pelo transporte coletivo urbano na cidade. Marília inclusive foi citada no Bom Dia Brasil, da TV Globo, site G1 e ou­tros órgãos de comunicação como uma das localidades com irregularidades no pro­cesso de licitação. Além das investigações, a CP pede ainda o afasta­mento do prefeito Vinícius Camarinha (PSB).

Suspeitas de fraudes

Documentos obtidos pela reportagem do Jornal Bom Dia Brasil, exibido pela Rede Globo de Televisão, evidenciam que a Logitrans, empresa da qual o engenheiro Garrone Reck foi sócio, era contratada pelas prefeituras para fazer estudos de logística e projeto básico de mobilidade, enquanto o filho dele, Sacha Reck, advogava para empresas interessadas.

De acordo com as investigações, com apoio de funcionário da prefeitura, Sacha Reck tinha acesso antecipado ao edital e, inclusive, ajudava na elaboração do documento.

Os documentos permitem deduzir que o esquema existe, pelo menos, desde 2007 e favoreceu, principalmente, empresas de duas famílias – Constantino e Gulin.

Em Marília, documentos demonstram que o escritório de Sacha Reck, que defende interesses da Viação Cidade Sorriso e da viação Grande Bauru, ambas dos grupos Gulin e Constantino, faz parcerias com outras empresas para que elas participem do licitação para transporte coletivo em Marília apenas para viabilizar a vitória das clientes de Sacha.

As empresas de transporte urbano Cidade Sorriso e a Grande Bauru foram as vencedoras da licitação realizada em novembro de 2011.

Entre na conversa...