16 de December de 2018

“Mais uma facada desse Governo que se elegeu as custas dos servidores”

Daniel Alonso e seu secretário da Fazenda, Levi Gomes. Foto: Giro Marília.
Daniel Alonso e seu secretário da Fazenda, Levi Gomes. Foto: Giro Marília.

Esse é um dos comentários que seguem mensagem de servidores públicos municipais que esta circulando no WhatsApp. Os servidores estão denunciado o secretário da Fazenda do prefeito Daniel Alonso (PSDB), Levi Gomes. E eles estão revoltados com a situação.

Confiram a mensagem na íntegra:

E o Secretário da Fazenda (vulgo Levi), além de afrontar o Poder Legislativo, decide agora afrontar o Poder Judiciário. Como já é de costume o secretário da fazenda do governo Daniel Alonso, decidiu agora descumprir decisões judiciais apresentando uma simples e falsa notícia. A Prefeitura foi notificada através de oficial de Justiça no dia 10/07/18 sobre uma liminar que obrigava a prefeitura depositar os recursos provenientes ao pagamento do Sindicato dos Funcionários públicos de Marília em uma conta Judicial, aberta exclusivamente para atender a determinação da Juiz(a) de Direito: Dr(a). Paula Jacqueline Bredariol de Oliveira. O fato é que a prefeitura foi comunicada da decisão no dia 10/07/18 e o secretário da fazenda mesmo sabendo dessa decisão ordenou o pagamento para conta do sindicato e não para conta aberta judicialmente em claro flagrante de desrespeito ao Poder Judiciário.

A decisão judicial em questão foi proferida no Processo nº. 1007340-86.2018.8.26.0344.  O requerente é Osvaldo Emidio da Silva. O requerido é o Sindimmar  (Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos Municipais de Marília).


Leia também

A oficialização da “fake news” pela Prefeitura de Marília

Lá, a juíza Bredariol de Oliveira determina o  seguinte:

Assim, entendo que a medida mais adequada que atenderia o pleito do autor seria notificar a Prefeitura Municipal para que o valor a ser repassado ao Sindimmar seja depositado em conta judicial vinculado a este processo (liberando-se à entidade os repasses das demais entidades) e, nestes termos, CONCEDO a tutela de urgência.

Entre na conversa...