22 de October de 2018

Você sabe o que são cidades-irmãs?

No próximo dia 26, a prefeitura receberá uma comitiva de Higashihiroshima, a cidade-irmã de Marília, para estreitar os laços entre os governos municipais. Mas você sabe o que são cidades-irmãs?

Enquanto “diplomacia” é o termo que se refere às relações oficiais entre os governos de diferentes países, a “paradiplomacia” designa as relações internacionais firmadas entre entes subnacionais, ou seja, aqueles que não representam o país como um todo, mas regiões dele, como províncias, estados ou municípios. A paradiplomacia se faz possível pela autonomia administrativa que esses entes possuem para firmarem acordos e convênios com entes subnacionais de outros países. Uma forma de atuação dessa área se dá através de um processo conhecido como irmanamento de cidades, que é a elaboração e assinatura de um convênio de cooperação a longo prazo entre dois municípios, tornando-os cidades-irmãs.

O intuito do irmanamento de cidades é a promoção de cooperação entre os municípios envolvidos, que pode acontecer em diversas áreas como a cultura, educação, saúde, transportes, meio ambiente e desenvolvimento econômico. Se dois municípios possuem características semelhantes como, por exemplo, número de habitantes, tamanho e setor econômico preponderante, é bem possível que tenham passado ou passem por situações e/ou dificuldades também semelhantes, de forma que a troca de conhecimento sobre a resolução de problemas é muito valiosa. Após o irmanamento de duas cidades, através da proposta feita por uma das prefeituras à outra, diversos protocolos podem ser elaborados e firmados para a troca de experiências sobre determinados assuntos, investimentos em projetos, intercâmbio de estudantes, especialistas e empresários, dentre outras possibilidades.

Higashihiroshima: A cidade-irmã de Marília

Marília abriga uma numerosa colônia japonesa, que vive na região há muitas gerações, tendo colaborado na criação e construção da cidade. Em 1958, devido ao 50º aniversário da colonização japonesa no Brasil, o então presidente Juscelino Kubitschek convidou o Príncipe Mikasa, do Japão, para participar das comemorações em várias cidades do país, sendo Marília uma das cidades visitadas. Quase vinte anos mais tarde, a proximidade cultural existente pela imigração ganhou ainda mais força com a assinatura de um convênio que tornou o município japonês Higashihiroshima cidade-irmã de Marília.

O convênio que oficializou o processo foi assinado em novembro de 1980, partindo de uma declaração feita em maio do ano anterior em Marília, entre os prefeitos dos dois municípios. Ele marca o comprometimento de intercâmbio nas áreas da educação, cultura, indústria e economia. Em homenagem à parceria, Marília tem uma praça com o nome da cidade-irmã, na confluência das avenidas Esmeralda e Vicente Ferreira. Outros três monumentos que homenageiam a relação da cidade com o Japão podem ser encontrados no jardim do paço municipal, tendo sido um deles inaugurado pelo Príncipe Mikasa na ocasião de sua visita.

As principais parcerias formadas entre as cidades aconteceram no âmbito da educação. A mais recente delas se deu em 2010, quando a prefeitura de Marília, por meio da Secretaria da Educação e em conjunto com a Associação Lótus Branco, firmou convênio entre escolas das cidades-irmãs para a consolidação do projeto Intereduca. O projeto tem como objetivo um intercâmbio cultural entre os países através da cooperação entre as escolas de Ensino Fundamental Antônio Ribeiro e Hachi Honmatsu, que realizam trocas de textos e vídeos entre os alunos dos dois países por uma plataforma na internet.

A internacionalização de municípios através de medidas como o irmanamento traz benefícios para os envolvidos, que cooperam entre si para seu desenvolvimento. A visita da comitiva japonesa no final do mês é mais um passo na relação entre as cidades-irmãs, da qual aguardamos acordos positivos para Marília.

 

Entre na conversa...