24 de June de 2019

Comércio varejista na região de Marília cresce 6,7% em março, segundo melhor desempenho do Estado

Fachada do Sincomercio. Foto: Google.

Em março, o comércio varejista na região de Marília atingiu o faturamento de R$ 998,6 milhões, crescimento de 6,7% na comparação com o mesmo mês de 2015 e com isso, registrou o segundo melhor desempenho do Estado de São Paulo. No acumulado dos últimos 12 meses a elevação foi de 1,5%.

Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP).

Entre as nove atividades pesquisadas, cinco apresentaram crescimento em março na comparação com o mesmo mês de 2015. As altas mais expressivas foram vistas nos setores de supermercados (13,3% e contribuição de 5 pontos porcentuais para o resultado geral), de outras atividades (18,3% e 4,5 p.p.) e de farmácias e perfumarias (11,5%, com impacto de 0,7 p.p.).

Entretanto, os segmentos de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-24,9% e impacto de -1,4 p.p. para o resultado geral), de materiais de construção (-16,6% e colaboração de -1,3 p.p.) e de concessionárias de veículos (-14,5% e contribuição de 1,2 p.p.) apresentaram quedas acentuadas no mês e impediram um resultado melhor do varejo.

Tabela Faturamento. Imagem: Sincomercio.
Tabela Faturamento. Imagem: Sincomercio.

Apesar de otimista, o Sincomercio Marília pondera que o momento econômico devido aos altos índices de inflação e desemprego para o varejo ainda exige cautela. “Atribuímos esse crescimento a segurança da população em relação as novas propostas governamentais em âmbito federal, mas ainda é cedo para comemorarmos. O momento ainda exige equilíbrio e serenidade”, ressalta Pedro Pavão, presidente do Sincomercio.

Nota metodológica

A Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV) utiliza dados da receita mensal informados pelas empresas varejistas ao governo paulista por meio de um convênio de cooperação técnica firmado entre a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP) e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

As informações, segmentadas em 16 Delegacias Regionais Tributárias da Secretaria, englobam todos os municípios paulistas e nove setores (autopeças e acessórios; concessionárias de veículos; farmácias e perfumarias; lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e lojas de departamentos; lojas de móveis e decoração; lojas de vestuário, tecidos e calçados; materiais de construção; supermercados; e outras atividades).

Os dados brutos são tratados tecnicamente de forma a se apurar o valor real das vendas em cada atividade e o seu volume total em cada região. Após a consolidação dessas informações, são obtidos os resultados de desempenho de todo o Estado.

Entre na conversa...