17 de September de 2018

Após “conspiração”, PSDB local tem nova diretoria

Uma das novas lideranças do PSDB em Marília, José Luiz Queiroz, com a professora tucana Carmen Lucia Ribeiro. Foto: Divulgação.

Com o apoio do deputado estadual Pedro Tobias, presidente estadual do PSDB, os líderes tucanos em Marília, Daniel Alonso, Wilson Damasceno e José Luiz Queiroz conseguiram driblar um movimento para barrar, nas convenções de julho, a candidatura tucana à Prefeitura de Marília.

O movimento envolveu tucanos em São Paulo, o PSB local e estadual e o então presidente do PSDB em Marília, Paulo Alves. De acordo com Pedro Tobias, todos eles estavam “conspirando para tentar se unir ao atual prefeito e barrar a candidatura de Daniel”.

A maioria dos tucanos de Marília ficaram insatisfeitos com essa situação e decidiram dissolver o atual Diretório Municipal, que tinha Paulo Alves à sua frente. Foram 37 votos a favor e 5 contra a dissolução.

Para os tucanos, o nome de Daniel Alonso foi definido democraticamente pela Executiva municipal para disputar a eleição majoritária em janeiro deste ano. Eles cobraram que o ex-presidente Alves deveria ter tornado pública sua vontade de ser candidato à vice do atual prefeito em janeiro, exatamente quando o partido definiu sua posição para as eleições municipais de 2016.

Um Comissão Provisória foi nomeada e Daniel Alonso se tornou o novo presidente do PSDB em Marília. Essa Provisória inclusive já saiu no Diário Oficial da Justiça.

Para Tobias, a reação do partido em Marília foi absolutamente legal e democrática. Vicente Morais continua sendo o secretário e Fábio Manhoso o tesoureiro do partido em Marília. Ainda figuram como membros da direção recém formada o vereador Wilson Damasceno, José Luiz Queiroz, Matheus Panssonato e Rita Sartori.

Entre na conversa...