“Descaso” com os funcionários da Gota de Leite continua em Marília

Gota de Leite de Marília. Foto: Reprodução/Diário de Marília.
Gota de Leite de Marília. Foto: Reprodução/Diário de Marília.

O presidente da sub-sede Marília do Sinsaúde (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos da Saúde de Campinas e Região), Aristeu Carriel, apontou em entrevista ontem (12) que há tempos os funcionários da Gota de Leite de Marília estão sem os recebimentos dos salários em dia. O sindicalista informou que quando há algum tipo de pagamento, os funcionários recebem metade do salário devido no mês.

Carriel disse que várias ações vem sendo tomadas desde 2015. O Sindicato já acionou tanto o Ministério do Trabalho quanto o MPF (Ministério Público Federal). Também foram ajuizados os processos na Justiça. Outras ações tomadas foram as tratativas entre os funcionários públicos municipais de se fazer greve, a convocação de duas Assembleias e uma reunião com o atual prefeito, Vinícius Camarinha (PSB).

Na ocasião, Vinícius prometeu ao Sinsaúde regularizar a situação da Gota de Leite em janeiro deste ano. O responsável pelos atrasos é a Prefeitura de Marília, que detém o convênio para fazer os repasses da folha de pagamento das verbas públicas aos funcionários da Gota de Leite. Carriel também reclamou da falta de comunicação com a Secretaria Municipal da Fazenda.

“Apenas falamos uma vez, durante Audiência Pública. Fora isso, não conseguimos uma conversa sequer. Estamos cansados desta situação. Todo mês pedimos uma solução. Todo mês pedimos fiscalização. Não conseguimos falar com ninguém. Eles fogem. É uma falta de consideração com os trabalhares. Uma falta de respeito”, disse Carriel.

UPA

Durante a entrevista, Carriel continuou a falar em descaso e citou que as desculpas da Prefeitura de que não há dinheiro para regularizar a situação da Gota de Leite já dura dois anos. Mas o sindicalista indaga, “Se não há dinheiro, como foi posto dinheiro para inaugurar a UPA [da zona Norte]?”

Após a inauguração da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Norte, a Prefeitura repassou a gestão à iniciativa privada. A ABHU (Associação Beneficente Hospital Universitário) foi a vencedora do processo licitatório que tinha por objetivo a contratação de Organização Social para a celebração de contrato de gestão para o gerenciamento, operacionalização e execução das ações e serviços da UPA Norte. O valor total do contrato é de R$ 18.188.218,68.

Entre na conversa...