Prazo para término das reformas do Teatro Municipal expirou no dia 25 de novembro, mas obras não foram concluídas

Reforma do Teatro Municipal de Marília: poço sem fundo ou vaca leiteira?
Reforma do Teatro Municipal de Marília: poço sem fundo ou vaca leiteira?

O Contrato nº 1087/15 entre a Prefeitura e a SERCAL ENGENHARIA LTDA EPP visando o fornecimento de material e mão de obra para o término da reforma do Teatro Municipal “Waldir Silveira Mello” prevê a duração de 240 dias corridos para a conclusão. Como o serviço teve início no dia 30 de março, deveria ter sido finalizado no dia 25 de novembro, porém até o momento as obras não estão prontas.

prazo

Contrato prevê conclusão da obra em 240 dias.

Diante da não conclusão, a Prefeitura deveria conceder um aditivo a fim de prorrogar o prazo, devidamente publicado no Diário Oficial do Município, o que também não ocorreu. Porém, em setembro a Administração permitiu o aditivo nº 01 ao contrato acrescendo em R$ 479.632,36 ao valor total da obra, inicialmente orçada em R$ 2.224.089,38.

aditivo 01

Aditivo foi permitido em setembro.

Embora o contrato estabeleça o prazo de 240 dias, uma reportagem divulgada no site da Prefeitura publicada no dia 23 de julho afirma que a expectativa é de que a obra seja entregue no primeiro trimestre de 2016.

IMG_20151125_105144764

Placa mostra que a obra teve início no dia 30 de março.

O Teatro Municipal foi fechado em 2009 após apresentar problemas na estrutura do telhado, cuja reforma custaria R$ 195 mil, aproximadamente, e duraria cerca de dois meses. Assim, foi aberto um processo licitatório e as obras foram iniciadas efetivamente em cinco de outubro pela empresa Tortela & Tortela Construtora Ltda ME, de Promissão, com prazo de 60 dias para a conclusão.

Pouco depois, imbróglio envolvendo o contrato firmado entre o município e a empresa acabou na paralisação das obras. Com o destelhamento do prédio sem a devida cautela e proteção do material interno, as águas das chuvas caíram nas dependências internas do teatro e causaram danos nos pisos, paredes, ar condicionado e poltronas instaladas.

Após o episódio, a prefeitura abriu nova licitação, desta vez para uma obra maior, com troca de cadeiras, renovação dos banheiros, isolamento acústico, entre outros. O valor orçado para tanto era de quase R$ 1 milhão. Mas as obras foram paralisadas novamente em 2012, por falta de pagamento à empresa que realizava as obras.

Sobre Marília Transparente 434 Artigos

Organização Não Governamental sem fins lucrativos e político-partidários, que visa transparência na gestão pública.

Entre na conversa...