9 de December de 2019

Vereadores aprovam concessão de transporte gratuito para atiradores do tiro de guerra

Prédio do Tiro de Guerra de Marília | Foto: Ivan Evangelista Jr em Panoramio
Prédio do Tiro de Guerra de Marília | Foto: Ivan Evangelista Jr em Panoramio

Na sessão da Câmara de ontem (11), os vereadores aprovaram o Projeto de Lei proposto pelo vereador Expedito Capacete (PDT), que concede transporte gratuito aos atiradores do Tiro de Guerra que estejam devidamente fardados. Emenda do vereador José Menezes (PSL) sugeriu que o benefício fosse estendido aos agentes do GAOC – Grupo de Apoio e Orientação à Cidadania. Os custos com as passagens de ônibus farão parte da planilha de custos das empresas responsáveis pelo transporte público em Marília.

Também foi aprovado projeto da Prefeitura denominando “Avenida Brasil Prolongamento”, a rua que compreende a Área A5, localizada ao Distrito de Lácio. Segundo a Prefeitura, a medida dá prosseguimento ao processo de desdobro da área cujo objetivo é a implantação do Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo.

Os vereadores foram favoráveis ao projeto de José Menezes, o qual denomina Bairro Rafael Barraca Imamura o loteamento denominado “Parque das Vivendas II”.

Objeto de deliberação

Dois projetos foram aprovados. A matéria proposta por Expedito Capacete sugeriu incluir no currículo das escolas municipais do ensino fundamental o tema transversal “prevenção contra as drogas”.

Já o vereador Marcos Rezende (PSD) sugeriu a criação do “pipódromo”, uma área segura para a soltura de pipas em Marília.

Requerimentos

A vereadora Sônia Tonin solicitou ao prefeito informação sobre a possibilidade de envidar esforços para interceder junto ao Governador Geraldo Alckmin objetivando uma doação para o Hospital das Clínicas de um aparelho de radioterapia.

Damasceno pediu para o prefeito suprimir a expressão “incitar greve ou” no texto que trata das faltas disciplinares constante no Código de Ética e Disciplina do Servidor Municipal. Aprovado no ano passado, o código proíbe que o servidor municipal faça ou incite greve.

Já o vereador Cícero do Ceasa pediu ao prefeito cópias dos contratos com a empresa “Prosseg Segurança e Serviços”. O vereador ainda pediu lista com os nomes dos funcionários terceirizados, área de atuação, função que exercem, prazo do contrato e cópias das notas de empenho de todas as notas fiscais.

Pequeno expediente

Damasceno questionou a falta de pagamento por parte da Prefeitura da reposição salarial dos servidores municipais referente ao ano passado. O edil ainda perguntou quando a Prefeitura irá utilizar o dinheiro arrecadado com o aumento da cobrança da CIP (Taxa para Custeio de Iluminação Pública) para melhorar a iluminação da cidade.

A vereadora Sônia Tonin disse que a Lei de Resíduos Sólidos irá entrar em vigor em breve, ou seja, todo município deverá fazer trabalhos para amortizar o impacto ambiental. Em relação à Marília, o lixo deverá começar a ser “tratado”.

Entre na conversa...