Coluna Agronegócio por Mauricio Picazo Galhardo

www.agro-cartoons.blogspot.com.br

ORGÂNICOS

A produção orgânica é registrada em 22,5% dos municípios brasileiros. O número foi divulgado durante uma palestra, dia (1°), na sede do ministério, em Brasília. O encontro faz parte da Semana dos Alimentos Orgânicos de 2016 e realizado em 25 estados e no Distrito Federal até dia 5. Durante a palestra – aberta ao público e que contou com a participação de técnicos do Mapa-, o coordenador de Agroecologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Rogério Dias, disse que a atividade vem crescendo no país. Em 2013, havia 6.700 unidades de produção orgânica. Hoje, o número chega a 14.449.

CLIMA

A seca e o excesso de chuvas nas regiões produtoras de grãos contribuíram para a queda de 0,3% no Produto Interno Bruto (PIB) da Agropecuária nos primeiros três meses deste ano, em relação ao trimestre anterior. A avaliação é do coordenador geral de Estudos e Análises do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Gasques. O PIB do setor no período somou R$ 88,6 bilhões. Os números foram divulgados, na quarta-feira (1º), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

IRRIGAÇÃO

Com cerca de 20 mil pivôs centrais irrigando uma área de 1,275 milhão de hectares, o Brasil está entre os dez países com maior área irrigada no planeta. Mesmo assim, o País tem potencial para aumentar em cinco vezes as lavouras com essa tecnologia de irrigação. Foi o que mostrou estudo feito pela Embrapa e pela Agência Nacional de Águas (ANA). O relatório publicado semana (30-03) revela um aumento de 43% no uso de pivôs entre 2006 e 2014. O trabalho identificou uma forte concentração na adoção de pivôs: os 100 maiores munícipios concentram 70% da área total brasileira irrigada.

SUPERAÇÃO

Resultados das exportações confirmam que o agronegócio tem condições reais de ajudar no processo de retomada do crescimento econômico. Com aumento de volume e de faturamento, as vendas externas do setor chegaram à casa dos US$ 28 bilhões no primeiro quadrimestre deste ano e representaram 50,2% das exportações totais do País,conforme cálculos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP.

PREÇO MILHO

A colheita do milho da segunda safra ainda está no início, mas as cotações no mercado de lotes passaram a cair em algumas praças, especialmente nas do Centro-Oeste. Levantamentos do Cepea mostram que, em Sorriso (MT), o preço no mercado spot caiu 10,7% entre 27 de maio e 3 de junho. Em Lucas do Rio Verde (MT), o recuo chegou a 7,1% no mesmo período. Já na região de Campinas (SP), os preços do milho seguem em alta, sustentados pela elevada demanda por parte de indústrias da região.

SOJA

Os preços da soja vêm atingindo novos recordes nominais no mercado brasileiro, conforme indicam dados do Cepea. O Indicador da soja Paranaguá (PR) ESALQ/BM&F/Bovespa, referente ao grão depositado no corredor de exportação e/ou negociado na modalidade spot (pronta entrega), teve alta expressiva de 6,23% entre 27 de maio e 3 de junho, fechando a R$ 96,26/saca de 60 kg na sexta-feira, 3.

Email: agronegocio2@hotmail.com

Entre na conversa...