Pedido de Comissão Processante contra Herval vai ser rejeitado e projeto de concessão do Daem vai ser aprovado ou ter pedido de vistas

Foto: Mauro Abreu

O Marília Global antecipa para seus leitores, com exclusividade, como devem se comportar os vereadores de Marília na Sessão Ordinária de terça-feira (13), quando serão votados o pedido de Comissão Processante contra Herval Rosa Seabra (PSB), condenado em primeira instância por desvio de dinheiro do Legislativo e o projeto que permite a concessão do Daem (Departamento de Água e Esgoto de Marília) à iniciativa privada. A aposta leva em consideração a postura dos parlamentares desta 18ª Legislatura, que se manteve sempre corporativa e em total sintonia com o prefeito Vinícius Camarinha (PSB).

Herval Seabra já afirmou, durante uma das últimas sessões ordinárias, que não vai deixar o cargo de presidente do Legislativo, por entender que não cometeu os crimes pelos quais foi condenado. Ele confia no recurso que impetrou no Tribunal de Justiça, para ser absolvido e continuar a frente do Legislativo. Se for levado em consideração a estratégia que o elegeu como presidente, dificilmente será aprovado um pedido de Comissão Processante com seu afastamento da Mesa Diretora.

O resultado, neste caso, deve ser 10 x 3 ou, até mesmo para surpresa de todos, alguém da oposição pode votar contra o pedido. Wilson Damasceno (PSDB) já anunciou, na tribuna da Câmara, que não concorda com a permanência de Seabra na presidência e, de certa forma, antecipou seu voto no caso de um pedido de CP, afirmando que para o bem do Legislativo, seria melhor que o presidente deixasse o cargo. Os demais (Mário Coraíni Júnior – PTB e Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa – PT) não se pronunciaram.

Concessão

Já em relação ao projeto que prevê a concessão do Daem à iniciativa privada, tudo indica que os parlamentares que formam a base aliada do prefeito Vinícius Camarinha, aprove a proposta. No máximo, para ganhar tempo e fugir da pressão popular, pode ocorrer de algum parlamentar desta mesma base pedir vistas e segurar o projeto por alguns dias. Não será surpresa alguma se ele voltar, numa Sessão Extraordinária, praticamente de surpresa, para evitar a mobilização popular. Afinal de contas, esse tipo de situação já ocorreu em outras ocasiões, com os reajustes do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), que foi aprovado na última sessão do ano, pegando todos de surpresa.

Confira a seguir, como e porque os vereadores vão votar este projeto.

Herval Rosa Seabra (PSB) – Presidente do Legislativo Normalmente, em votações qualificadas como é o caso da CP e do projeto de concessão do Daem, ele não precisa votar. No caso da concessão, se tiver de dar o voto “minerva”, vai ser favorável. Faz parte do grupo político de Vinícius Camarinha há vários anos e é de confiança do prefeito na Câmara.

Herval Rosa Seabra (PSB) – Presidente do Legislativo

Normalmente, em votações qualificadas como é o caso da CP e do projeto de concessão do Daem, ele não precisa votar. No caso da concessão, se tiver de dar o voto “minerva”, vai ser favorável. Faz parte do grupo político de Vinícius Camarinha há vários anos e é de confiança do prefeito na Câmara.

Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa (PT) Pode votar pela Comissão Processante, para que Herval deixe a Mesa Diretora e também deve votar contra a concessão do Daem à iniciativa privada. Está cumprindo seu primeiro mandato e tem como reduto eleitoral a zona norte de Marília.

Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa (PT)

Pode votar pela Comissão Processante, para que Herval deixe a Mesa Diretora e também deve votar contra a concessão do Daem à iniciativa privada. Está cumprindo seu primeiro mandato e tem como reduto eleitoral a zona norte de Marília.

José Bassiga da Cruz, o Goda (PHS) - Faz parte da base aliada do prefeito Vinícius Camarinha. Deve votar contra a CP e a favor do projeto de concessão do Daem. No começo da Legislatura aprovou requerimento, para saber quem eram os maiores devedores do Daem. Nunca informou se recebeu resposta ao requerimento e nunca divulgou quem são os maiores devedores. Tem como reduto eleitoral a zona sul. Não há registro de mandatos anteriores.

José Bassiga da Cruz, o Goda (PHS)

Faz parte da base aliada do prefeito Vinícius Camarinha. Deve votar contra a CP e a favor do projeto de concessão do Daem. No começo da Legislatura aprovou requerimento, para saber quem eram os maiores devedores do Daem. Nunca informou se recebeu resposta ao requerimento e nunca divulgou quem são os maiores devedores. Tem como reduto eleitoral a zona sul. Não há registro de mandatos anteriores.

José Expedito Carolino, o Capacete (PDT) - Também integrante da base aliada. Deve votar contra a CP de Herval e a favor do projeto de concessão do Daem. Estava na legislatura passada, sendo que é do mesmo partido do prefeito que renunciou, professor Mário Bulgarelli. Faz parte da mesa diretora e pouco usa a tribuna para se pronunciar sobre projetos. Faz o estilo quieto, mas é da base e não deve fugir da votação.

José Expedito Carolino, o Capacete (PDT)

Também integrante da base aliada. Deve votar contra a CP de Herval e a favor do projeto de concessão do Daem. Estava na legislatura passada, sendo que é do mesmo partido do prefeito que renunciou, professor Mário Bulgarelli. Faz parte da mesa diretora e pouco usa a tribuna para se pronunciar sobre projetos. Faz o estilo quieto, mas é da base e não deve fugir da votação.

José Ferreira de Menezes Filho, o Zé Menezes (PSL) - Faz parte da base aliada. Deve votar contra a CP de Herval por um motivo muito simples. Também foi condenado em primeira instância por falsificação de diploma e em nenhum momento qualquer vereador se manifestou para arguir seu decoro parlamentar. Já em relação ao projeto de concessão do Daem, vai “obedecer” o que for determinado pela bancada.

José Ferreira de Menezes Filho, o Zé Menezes (PSL)

Faz parte da base aliada. Deve votar contra a CP de Herval por um motivo muito simples. Também foi condenado em primeira instância por falsificação de diploma e em nenhum momento qualquer vereador se manifestou para arguir seu decoro parlamentar. Já em relação ao projeto de concessão do Daem, vai “obedecer” o que for determinado pela bancada.

Luiz Eduardo Nardi (PR) - Faz parte da base aliada e tem longa data de amizade com Abelardo Camarinha, pai de Vinícius Camarinha. Homem da mais extrema confiança da família. Vai votar contra a CP por entender que Herval ainda está com sua situação sob judice. Em relação a concessão do Daem, vai seguir a orientação do prefeito. Aliás, já até se posicionou em relação a questão, sem antecipar o voto, mas defendendo a necessidade de investimentos.

Luiz Eduardo Nardi (PR)

Faz parte da base aliada e tem longa data de amizade com Abelardo Camarinha, pai de Vinícius Camarinha. Homem da mais extrema confiança da família. Vai votar contra a CP por entender que Herval ainda está com sua situação sob judice. Em relação a concessão do Daem, vai seguir a orientação do prefeito. Aliás, já até se posicionou em relação a questão, sem antecipar o voto, mas defendendo a necessidade de investimentos.

Marcos Custódio (PSC) - Faz parte da base aliada de “contragosto”. Após ser eleito confidenciou aos amigos mais próximos que seria “obrigado” a ser da base, para conseguir aprovar os projetos de sua comunidade religiosa. Pode até votar a favor da CP de Herval, pois não tem muito o que perder neste caso. Mas em relação a concessão do Daem, deve dizer “amém” ao que determinar a base. Afinal, seu reduto eleitoral ainda tem projetos a serem desenvolvidos e um voto contra a administração pode fazê-lo ficar sem argumentos para a reeleição.

Marcos Custódio (PSC)

Faz parte da base aliada de “contragosto”. Após ser eleito confidenciou aos amigos mais próximos que seria “obrigado” a ser da base, para conseguir aprovar os projetos de sua comunidade religiosa. Pode até votar a favor da CP de Herval, pois não tem muito o que perder neste caso. Mas em relação a concessão do Daem, deve dizer “amém” ao que determinar a base. Afinal, seu reduto eleitoral ainda tem projetos a serem desenvolvidos e um voto contra a administração pode fazê-lo ficar sem argumentos para a reeleição.

Marcos Rezende (PSD) - Tem histórico de animosidade com Abelardo Camarinha, mas “relevou” em função do deputado federal Walter Ihoshi (PSD) e de suas próprias pretensões políticas. Considera com chances de vir a ser candidato a vice de Vinícius Camarinha, em 2016. É vice-presidente de Herval e não deve votar contra o presidente, portanto, vai rejeitar a CP. Em relação ao Daem, vai seguir a orientação de Vinícius e votar favoravelmente.

Marcos Rezende (PSD)

Tem histórico de animosidade com Abelardo Camarinha, mas “relevou” em função do deputado federal Walter Ihoshi (PSD) e de suas próprias pretensões políticas. Considera com chances de vir a ser candidato a vice de Vinícius Camarinha, em 2016. É vice-presidente de Herval e não deve votar contra o presidente, portanto, vai rejeitar a CP. Em relação ao Daem, vai seguir a orientação de Vinícius e votar favoravelmente.

Mário Coraini Júnior (PTB) - Tem histórico de confrontos com Abelardo Camarinha e agora com o filho, Vinícius Camarinha. Deve votar pela CP, sob o argumento de que moralmente Herval não deveria ficar, mas juridicamente está amparado. Em relação a concessão do Daem, também deve ser contra, usando como argumento que tem “conhecimento de causa”, por já ter sido diretor do Daem. Mas não se tem notícia se, enquanto diretor do Daem, conseguiu recuperar os débitos que o departamento tem.

Mário Coraini Júnior (PTB)

Tem histórico de confrontos com Abelardo Camarinha e agora com o filho, Vinícius Camarinha. Deve votar pela CP, sob o argumento de que moralmente Herval não deveria ficar, mas juridicamente está amparado. Em relação a concessão do Daem, também deve ser contra, usando como argumento que tem “conhecimento de causa”, por já ter sido diretor do Daem. Mas não se tem notícia se, enquanto diretor do Daem, conseguiu recuperar os débitos que o departamento tem.

Samuel Ferreira de Menezes, o Samuel da Farmácia (PR) - Irmão de Zé Menezes, também deve seguir a cartilha da bancada. Não vai votar a favor da CP, porque tem o irmão em situação quase parecida e numa eventual CP contra o irmão, teria de ter a mesma postura. Em relação ao projeto de concessão do Daem, vai seguir a cartilha da bancada. Vai votar a favor.

Samuel Ferreira de Menezes, o Samuel da Farmácia (PR)

Irmão de Zé Menezes, também deve seguir a cartilha da bancada. Não vai votar a favor da CP, porque tem o irmão em situação quase parecida e numa eventual CP contra o irmão, teria de ter a mesma postura. Em relação ao projeto de concessão do Daem, vai seguir a cartilha da bancada. Vai votar a favor.

Silvio Sadao Harada (PR) - Faz parte da colônia japonesa e é integrante da base aliada. Também deve votar contra a CP para afastar Herval Seabra. Em relação ao Daem, está convencido de que é a melhor saída para o município. Vai votar de forma favorável ao projeto de concessão do Departamento.

Silvio Sadao Harada (PR)

Faz parte da colônia japonesa e é integrante da base aliada. Também deve votar contra a CP para afastar Herval Seabra. Em relação ao Daem, está convencido de que é a melhor saída para o município. Vai votar de forma favorável ao projeto de concessão do Departamento.

Sônia Maria Ribeiro Tonin, a Sônia Tonin (PSC) - É servidora municipal de carreira, diretora de escola municipal. Faz parte da mesa diretora e não vai votar contra o presidente Herval. Portanto, vai ser contra a CP e o afastamento. Em relação ao Daem, no começo da legislatura já defendia, em seus discursos na tribuna, que o Departamento não tinha fôlego para se manter. Atacava Francisco Giaxa, que era o então diretor. Chegou a fazer críticas a José Carlos Polegato, depois diminuiu a intensidade. Vai votar favorável ao projeto de concessão, seguindo o argumento da administração municipal.

Sônia Maria Ribeiro Tonin, a Sônia Tonin (PSC)

É servidora municipal de carreira, diretora de escola municipal. Faz parte da mesa diretora e não vai votar contra o presidente Herval. Portanto, vai ser contra a CP e o afastamento. Em relação ao Daem, no começo da legislatura já defendia, em seus discursos na tribuna, que o Departamento não tinha fôlego para se manter. Atacava Francisco Giaxa, que era o então diretor. Chegou a fazer críticas a José Carlos Polegato, depois diminuiu a intensidade. Vai votar favorável ao projeto de concessão, seguindo o argumento da administração municipal.

Wilson Alves Damasceno, o Delegado Damasceno (PSDB) - Como integrante da oposição, já afirmou que defende o afastamento de Herval Seabra, por uma questão moral. Dessa forma, deve votar favorável à CP. Em relação ao Daem, é contra a concessão e já anunciou que vai propor uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar os pagamentos referentes a obra do esgoto, que estão paralisadas. Desta forma, ele vai votar contra.

Wilson Alves Damasceno, o Delegado Damasceno (PSDB)

Como integrante da oposição, já afirmou que defende o afastamento de Herval Seabra, por uma questão moral. Dessa forma, deve votar favorável à CP. Em relação ao Daem, é contra a concessão e já anunciou que vai propor uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar os pagamentos referentes a obra do esgoto, que estão paralisadas. Desta forma, ele vai votar contra.

Logicamente o leitor deve levar em consideração que a análise feita neste texto se refere ao comportamento anterior de cada um dos parlamentares, em projetos anteriores. Dependendo da pressão popular, durante a Sessão Ordinária ou em razão das manifestações ocorridas no final de semana, alguns podem se intimidar e encontrar uma saída para evitar o desgaste.

Neste sentido o pedido de vistas ao projeto, por determinado número de dias, pode ser o escape para aguardar a pressão popular reduzir. O resultado da votação vai depender de como cada eleitor vai cobrar o seu vereador, seja durante a Sessão Ordinária ou ao longo das horas que antecedem a votação.

Sobre Carlos Teixeira 106 Artigos

Ele é jornalista com conhecimento em diferentes mídias (rádio, jornal, televisão e internet) e responsável pela empresa “O Porta Voz – Assessoria de Comunicação”.

Entre na conversa...