20 de October de 2019

Há apenas um local para o cadastro da ajuda necessária, em toda a cidade de Marília?

Beto Cavallari é doutor em filosofia pela Columbia University e editor do jornal online Marília Global.
Beto Cavallari é doutor em Filosofia pela Columbia University e editor do jornal online Marília Global.

A Prefeitura de Marília tem feito o seu necessário para auxiliar as famílias que foram mais atingidas pela forte tempestade que abalou a cidade. É o bastante?

O atual prefeito, Vinícius Camarinha, tem a obrigação, enquanto líder do executivo votado pela população, em aplicar bem os recursos financeiros que a Prefeitura arrecada do próprio povo. É isso que está em jogo, a boa aplicação do dinheiro público em momentos de insegurança. Nada de endeusamento, apenas o cumprimento de sua função. E abrir novos locais nos quatro cantos da cidade, para cadastro da ajuda, é obrigação da Prefeitura, entendo, para evitar mais um desastre administrativo.

A Prefeitura elegeu o Clube dos Bancários como a única localidade em toda a cidade para que a população registre suas ocorrências, suas necessidades, para que torne público aos olhos da Prefeitura suas mais humanas e óbvias necessidades.

Para as famílias que moram na Zona Oeste ou Norte da cidade, isso se transforma em uma tarefa quase impossível. Apanhar um ônibus da Zona Oeste para a Zona Sul, ou, por exemplo, da escola Chico Xavier até o Clube dos Bancários, leva pelo menos 90 minutos e cerca de R$3,00 por pessoa. Ainda a tempo, as passagens de ônibus deveriam ser liberadas, para estas pessoas. Pra quem acabou de testemunhar a casa destelhada, os postes de luz derrubados, o carro e a calçada destruídos e o caos generalizado se instaurar, fazer e pagar por esse percurso é pedir muito, neste momento. Quem tem que se abrir, se expor, ir ao encontro, correr riscos, se mostrar solicito para a população é a Prefeitura, o Legislativo, e não quem está sofrendo.

Sou eu mais uma vez quem devo dizer, em bom tom, que o Rei está nu? Quem são as pessoas que se levantam num momento como este? Há muitos marilienses indo aos bairros prestar ajuda. Enquanto as ações assistencialistas não chegarem pra valer na Zona Oeste e nas outras demais regiões da cidade, o muito ainda é pouco, seja com a ajuda do Governador ou não.

Prefeito Vinícius é acompangado de Hëlio Benetti e Silvia Acetose na entrega de donativos às vítimas do temporal na Zona Sul.
Prefeito Vinícius é acompanhado do Secretário Hélio Benetti e a presidente do Fundo Social, Silvia Acetose, na entrega de donativos às vítimas do temporal na Zona Sul.

Como aconteceu durante a epidemia do mosquito da dengue, no início do ano, a Prefeitura de Marília parece se preocupar mais consigo mesma, com seu reduto eleitoral, antes de se expor e auxiliar verdadeira e abertamente os necessitados.

Tantos impostos, tanto dinheiro jogado na Prefeitura Municipal de Marília e apenas UM local na cidade inteira para o cadastro da ajuda necessária é o necessário apenas para quem nunca esteve vulnerável, sob chuva e sol, ao ser jogado na rua de modo abrupto.

Entre na conversa...