18 de July de 2019

Fósseis encontrados na região de Marília são divulgados no Uruguai

PALEONTOLOGIA

William Nava com os paleontólogos Agustin Martinelli, da UFRGS, e Luis Chiappe, do Museu de Los Angeles, ao lado do painel apresentado no Congresso do Uruguai Foto/Divulgação

O coordenador do Museu de Paleontologia de Marília, o paleontólogo William Nava, participou no final do mês de setembro do V Congresso Latino-Americano de Paleontologia de Vertebrados, realizado na cidade de Colonia del Sacramento, Uruguai. O evento contou com a participação de paleontólogos do Brasil, Argentina, Colômbia, México, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Espanha, Reino Unido,França e África do Sul. Foram apresentados centenas de trabalhos de caráter científico, mostrando ocorrências fossilíferas de praticamente todos os períodos geológicos, com destaque para dinossauros.

Os fósseis apresentados pelo paleontólogo William Nava no evento, foram coletados na região oeste do estado, entre os anos 2009 e 2014.  São restos ósseos de dinossauros saurópodes -Titanossauros, dentes de dinossauros carnívoros, dentes de crocodilomorfos, placas de tartarugas, uma maxila de peixe e o primeiro registro para o oeste paulista de vértebras de serpente que viveram na época dos dinossauros, durante o Cretáceo Superior.

O trabalho foi apresentado por Nava em parceria com os paleontólogos Rodrigo Santucci, da UnB – Universidade de Brasília, Agustin Martinelli, da UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Annie Hsiou, da USP de Ribeirão Preto.

“Quisemos mostrar a riqueza paleontológica desta região num evento latino americano como este. Mas principalmente mostrar o registro dos fósseis de serpente e peixe, que são difíceis de serem reconhecidos, devido ao pequeno tamanho e fragilidade também. Normalmente quem escava localidades onde tem restos de dinossauros, como é este caso, acaba não observando a presença de pequenos restos ósseos. Entretanto, como já estou acostumado a coletar pequenos materiais fósseis, estes não passaram despercebidos. Foi uma coleta importante que fiz em 2013 e que de agora em diante passam a servir de estudos sistemáticos para determinarmos com exatidão que grupo de serpente e de peixe primitivos habitou esta região há milhões de anos, junto com dinossauros e crocodilos”, disse o paleontólogo Nava.

Por ocasião do congresso, Nava firmou parceria de estudos técnico-científicos com o paleontólogo Luiz Chiappe, do Museu de História Natural de Los Angeles, Califórnia. O paleontólogo americano deverá vir à Marília no ano que vem para conhecer o museu e os fósseis aqui coletados.

No Museu de Paleontologia de Marília há diversos fósseis de dinossauros, crocodilos, tartarugas, peixes e outros organismos em exposição. O Museu é aberto ao público gratuitamente de segunda a sexta das 8 h às 14h e  fica no centro da cidade, prédio da Biblioteca Municipal, entrada pela Av. Rio Branco. Os custos da viagem de Nava foram subsidiados pela Secretaria Municipal da Cultura – Prefeitura de Marília e pelo Dinosaur Institute, Natural Hystory Museum of Los Angeles, California, EUA.

Entre na conversa...