19 de October de 2019

Lista de mais votados para conselho é divulgada, mas posse só após apuração de denúncias

CONSELHO TUTELAR

Apuração de eleitos terminou na manhã de quarta-feira - Foto: Carlos Teixeira

Após dois dias e meio de apuração, ontem de manhã saiu a lista dos 10 candidatos a conselheiro tutelar mais votados na eleição realizada no último domingo. A divulgação foi feita pelo Comdica (Conselho Municipal da Criança e do Adolescente) e segundo a lista a candidata que teve maior votação foi Maria Aparecida Amâncio Honjoya, a Cidinha, com 812. Em seguida vem Sandra Regina da Silva (784),  Vanessa Isídio (742), Liozina de Almeida Saraiva (655), Silvia Helena Ribeiro (652), Luciana de Oliveira (651), Suelaine Cristina Prado Macedo de Matos (625), Rosemeire Moreno Leal de Oliveira (634), Fernanda dos Santos Lima e Sebastião Teles Abençoado, que empataram em 617 votos.

Apesar de divulgada a lista dos mais votados, o nome dos eleitos só deve ser efetivamente confirmado após apuração de denúncias de boca de urna. Cidinha, a mais votada na eleição, já era conselheira e exerceu mandato 2012/2015. Para agradecer os votos ela publicou uma mensagem em sua página pessoal do Facebook. “Amigos e amigas, venho comunicar o resultado da Eleição do Conselho Tutelar na cidade de Marília, na qual participei no dia 04 de outubro. Com o apoio e a confiança de vocês consegui me reeleger com 812 votos, sendo a primeira colocada. Agradeço de coração a todos. Vou continuar o meu trabalho com muito amor e comprometimento com as famílias, dando proteção integral às crianças e adolescentes de Marília”.

A apuração da eleição demorou dois dias e meio para ser finalizada. A contagem dos votos teve início às 17h, logo após o término do pleito, ainda no domingo.  A maior dificuldade encontrada pelo Conselho foi por conta do grande número de cédulas de votação e de candidatos, um total de 234 nomes.

Denúncias

Segundo Maria Angélica Galiote, presidente do Conselho Municipal, foram recebidas 10 denúncias de boca de urna. Os casos serão levados ao conhecimento do promotor da Infância e Juventude, Jurandir Afonso Ferreira, para a devida apuração.  “Somente na próxima semana, entre a terça (13) e a quarta-feira (14) teremos alguma posição sobre o assunto. Somente depois do parecer do promotor, nós poderemos divulgar os eleitos, o que foi decidido, se foram comprovadas as denúncias e quais serão as medidas tomadas”, conta.

Dependendo do resultado da comissão eleitoral, se for comprovado que o candidato estava realizando boca de urna e o mesmo se for eleito, será penalizado e/ou impugnado. O promotor informou que, até o início da tarde de ontem, nenhuma denúncia havia chegado até ele. “Não posso falar me baseando em suposições. Mas caso estas reclamações cheguem até mim, tomarei as devidas providências, porém não posso estabelecer um prazo, uma vez que, dependendo da situação, o denunciado tem direito de defesa e o desenrolar da história pode ser longo”, afirma Jurandir.

Entre na conversa...