19 de October de 2018

Adesão a greve dos bancários chega a 80% e congestiona lotéricas

BRAÇOS CRUZADOS

Clientes em fila para atendimento nos caixas eletrônicos - Foto: Carlos Teixeira

A greve dos bancários em Marília e região chega aos 80% de adesão, segundo o comando da paralisação. O presidente do Sindicato das bases de Marília e Ourinhos, Geofredo Borges da Rocha, afirmou que ontem os funcionários fecharam duas agências de São Pedro do Turvo e uma em Garça. “Essa de Garça havia sido aberta precariamente na terça (6), mas por falta de funcionários acabou sendo fechada e hoje (ontem) nem abriu. É normal essa adesão depois do primeiro dia”, explica. Com a paralisação dos bancos, o movimento nas lotéricas da cidade aumentou cerca de 50%. Durante todo o dia de ontem as casas lotéricas ficaram com imensas filas.

Apesar do grande número de agências fechadas, a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) não havia sinalizado com nenhuma nova proposta até o início da noite de ontem. Já o Comando Nacional está disposto a dialogar.  A greve dos bancários foi iniciada as zero hora da última terça-feira (6), já afeta a população de toda a região.

A categoria votou pela paralisação geral na última quinta-feira, dia 1º. Por unanimidade, os trabalhadores do município rejeitaram a proposta dos banqueiros, que previa 5,5% de reajuste e R$ 2,5 mil de abono. O Comando Nacional dos bancários reivindica por 16% de aumento.

De acordo com o Sindicato, os cinco maiores bancos do país tiveram aumento nos lucros de 27,3% no comparativo entre os primeiros semestres de 2014 e 2015. O montante chegou a R$ 36,5 bilhões e a previsão neste segundo semestre é de R$ 75 a R$ 85 bilhões.

Hoje, a cidade conta com cerca de 500 bancários e na área de atuação do sindicato regional chegam a 1,1 mil funcionários.

Entre na conversa...