19 de October de 2019

Consultas jurídicas crescem pela segunda vez no ano

Fachada da Acim. Foto: Acim.

O vice presidente da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, Adriano Luiz Martins, considerou interessante os dados apresentados pelo Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) que apontam pelo segundo mês seguido no ano, elevação nas consultas sobre o CPNJ de empresas. “Isto quer dizer que empresários estão tendo mais cautela nas relações comerciais, buscando informações sobre o parceiro”, disse satisfeito o dirigente mariliense ao observar o crescimento de 24,03% no número de consultas realizadas em março, em igual período do ano passado. “No momento em que vivemos não podemos errar na compra ou venda de produtos”, afirmou o diretor da Acim.

Nos três primeiros meses do ano as consultas jurídicas do SCC da Acim registram crescimento de 16,49% no trimestre comparado com 2015. Foram realizadas até então 9.418 consultas em janeiro, fevereiro e março, diante das 8.085 consultas realizadas nestes mesmos três meses de 2015. Somente em março foram 3.582 consultas sobre CNPJ, diante das 3.120 realizadas em fevereiro e as 2.716 no mês de janeiro. “Janeiro é considerado um mês ruim, mas mesmo assim, chegou a 0,29% a menos do que no ano passado que somou 2.724 consultas”, comparou Adriano Luiz Martins.

As consultas jurídicas são importantes para o empresário, que passa a ter uma visão mais administrativa sobre o parceiro, observando o perfil dele diante do cadastro criado. “É uma segurança maior, afinal, um erro nesse sentido pode colocar tudo a perder”, comentou o vice presidente da associação comercial local que sugere a todos que estiverem em negociação com uma outra empresa, que busquem saber o perfil e o cadastro delas antes de fechar qualquer negócio. “Beleza acaba e o “ouvi dizer” nem sempre é seguro”, comparou o administrador que sempre consulta os dados do SCPC da Acim para qualquer iniciativa empresarial.

Apesar de ser menos utilizado como há anos atrás, os cheques estão atingindo uma certa estabilidade nas consultas. No primeiro trimestre deste ano houve uma queda na quantidade de consultas de apenas 2,7%, ou seja, 76.345 consultas realizadas nos primeiros três meses do ano, diante das 78.530 consultas realizadas no ano passado, sobre o crediário e o cadastro bancário do consumidor. “As vendas com cheques, hoje em dia, necessitam de muitas informações, pois o consumidor pode ser surpreendido e não cumprir com a quitação da dívida”, falou ao lembrar que na consulta sobre o cheques é possível saber o perfil do emitente através de um histórico, bem como, se o cheque é roubado, furtado ou clonado.

No geral as consultas ao SCPC da Acim continuam em queda, em virtude da mudança de hábito, com o crescimento das vendas com os cartões de crédito, débito e benefícios, que é um crescente no comércio em geral, e as vendas neste sentido não passam por consulta ao banco de dados do SCPC. “As vendas com os cartões ou a vista, não necessitam de consultas”, reforçou o dirigente da associação comercial local que nota a queda de 3,38% no número de consultas no trimestre, somando apenas 79.925 consultas realizadas, diante das 82.720 consultas realizadas no trimestre do ano passado. “Nos três primeiros meses desse ano, em fevereiro o saldo foi positivo de 2,29%, com quedas em janeiro de 6,45% e em março com 5,33%”, apontou o vice presidente da diretoria.

Entre na conversa...