22 de October de 2018

Os resultados recentes da operação tapa buracos em ano eleitoral em Marília

Foto: Wilson Ruiz/Assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Marília.
Foto: Wilson Ruiz/Assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Marília.

Com mais uma etapa da operação tapa buracos completa, a Prefeitura Municipal de Marília anunciou que 70% da operação já foi realizada. A operação esta realizando trabalhos na zona norte, no Bairro Santa Antonieta e apenas na semana passada teriam usados 8 mil metros quadrados de massa asfáltica no bairro.

[contextly_auto_sidebar]A Prefeitura também anunciou que as próximas etapas serão nos bairros Julieta Primavera e Renata. Antes disso, as equipes atuaram também nas seguintes vias: República (Sentido Padre Nóbrega), Santo Antonio, Pedro de Toledo, Mato Grosso, Pernambuco, Sergipe, Paraná, Benedito Alves Delfino, Sargento Ananias, José Bonifácio, bem como nos bairros Acapulco, Aquarius, Maria Izabel, Parati, Campus Universitário e Lorenzetti. A região central é prioridade com uma equipe voltada para a emergência.

De acordo com nota da assessoria de imprensa da Prefeitura, “O prefeito Vinicius voltou a destacar que a recuperação do asfalto é prioridade.” Com isso, ficam as seguintes dúvidas:

A recuperação asfáltica é prioridade para o quê? Para a cidade ou para a reeleição do atual chefe do Executivo? Se era prioridade para a cidade, por que não cuidou dos buracos no asfalto nos últimos 3 anos?

E mais: ainda há tantos buracos espalhados pela cidade, que se já foram realizados 70% da operação tapa buracos, isso quer dizer que a operação não abrange 100% da cidade? Quais bairros irão ficar de fora da decisão da Prefeitura? Qual o critério para tapar buracos em um lugar e abandonar o outro?

Por fim: quem fiscaliza o uso de 8 mil metros quadrados de massa asfática que, segundo a Prefeitura e a Codemar, foram utilizados nas ruas na zona norte? 8 mil metros quadrados dariam pra tapar muito buraco, não? Como esta a zona norte após estes 8 mil metros quadrados utilizados e pagos com o dinheiro do contribuinte?

Entre na conversa...