Câmara dos Vereadores: 10 vereadores dão as costas para 14 mil eleitores marilienses?

Plenário da Câmara Municipal de Marília

A Câmara Municipal de Marília tem sido criticada por se colocar frequentemente contrária a vontade de movimentos da sociedade civil organizada, quando esta cobra por transparência e efetiva fiscalização da Administração municipal.

Por outro lado, a Câmara também tem sido criticado por se colocar frequentemente de modo clubístico a favor dos projetos enviados à Casa pelo Prefeito Vinícius Camarinha (PSB). Tem-se visto pouca ou nenhuma inquietação na maioria dos edis da turma 2012-2016 se é projeto enviado pelo Executivo. Quando se pronunciam, são criticados por defenderem os projetos com argumentos pífios e até mesmo duvidosos, como um torcedor defende o seu time de futebol, sem abrir previamente para o debate amplo e público com a sociedade.

O caso mais simbólico neste sentido foi a proposição, pelo Prefeito, e a aprovação, pela Câmara, do Projeto de Lei de concessão do Daem: menos de 30 dias. Outro caso que também chama a atenção é a maioria da Câmara se colocar contra a abertura de CP (Comissão Processante) e CPI (Comissão Processante de Inquérito) contra o atual presidente da Casa, Herval Rosa Seabra (PSB) e a própria Administração municipal.

O já famoso bordão “10×3” é recorrente na boca e na ponta dos dedos das pessoas, que se manifestam pelas ruas da cidade e nas redes sociais. Até mesmo a mídia e alguns setores da sociedade passaram a utilizar o bordão 10×3. O último 10×3 foi, na verdade, um 10×14 mil. No dia 23 de novembro, a Câmara rejeitou, por 10×3, Projeto de Lei de iniciativa popular que limitaria em 13 o número de vereadores. O Projeto foi encabeçado pela Matra e recolheu 14.115 assinaturas dos cidadãos. A entidade contou com o apoio da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Acim (Associação Comercial e Industrial de Marília), Força Sindical, Maçonaria, Diocese de Marília e associações de moradores de toda a cidade.

Com a reprovação, o número de vereadores poderá aumentar. Porém, de acordo com a Matra, “a quantidade de edis não corresponde a uma melhor representatividade da população na Câmara. O que fará a diferença será a qualidade dos políticos que integram o Legislativo Municipal. Além disso, o aumento do número de vereadores representará mais gastos para o município.”

A Câmara 10×3

Quem são os 10 vereadores municipais do bordão 10×3:

Herval Rosa Seabra (PSB) – Presidente do Legislativo Normalmente, em votações qualificadas como é o caso da CP e do projeto de concessão do Daem, ele não precisa votar. No caso da concessão, se tiver de dar o voto “minerva”, vai ser favorável. Faz parte do grupo político de Vinícius Camarinha há vários anos e é de confiança do prefeito na Câmara.

1. Herval Rosa Seabra (PSB) – Presidente do Legislativo

Normalmente, em votações qualificadas como é o caso da CP e do projeto de concessão do Daem, ele não precisa votar. No caso da concessão, se tivesse que dar o voto “minerva”, iria ser favorável. Faz parte do grupo político de Vinícius Camarinha há vários anos e é de confiança do prefeito na Câmara. Foi condenado a oito anos de prisão por peculato, mas responde me liberdade.

José Bassiga da Cruz, o Goda (PHS) - Faz parte da base aliada do prefeito Vinícius Camarinha. Deve votar contra a CP e a favor do projeto de concessão do Daem. No começo da Legislatura aprovou requerimento, para saber quem eram os maiores devedores do Daem. Nunca informou se recebeu resposta ao requerimento e nunca divulgou quem são os maiores devedores. Tem como reduto eleitoral a zona sul. Não há registro de mandatos anteriores.

2. José Bassiga da Cruz, o Goda (PHS)

Faz parte da base aliada do prefeito Vinícius Camarinha. Votou contra a CP e a favor do projeto de concessão do Daem. No começo da Legislatura aprovou requerimento, para saber quem eram os maiores devedores do Daem. Nunca informou se recebeu resposta ao requerimento e nunca divulgou quem são os maiores devedores. Tem como reduto eleitoral a zona sul. Não há registro de mandatos anteriores.

José Expedito Carolino, o Capacete (PDT) - Também integrante da base aliada. Deve votar contra a CP de Herval e a favor do projeto de concessão do Daem. Estava na legislatura passada, sendo que é do mesmo partido do prefeito que renunciou, professor Mário Bulgarelli. Faz parte da mesa diretora e pouco usa a tribuna para se pronunciar sobre projetos. Faz o estilo quieto, mas é da base e não deve fugir da votação.

3. José Expedito Carolino, o Capacete (PDT)

Também integrante da base aliada. Votou contra a CP de Herval e a favor do projeto de concessão do Daem. Estava na legislatura passada, sendo que é do mesmo partido do prefeito que renunciou, professor Mário Bulgarelli. Faz parte da mesa diretora e pouco usa a tribuna para se pronunciar sobre projetos. Faz o estilo quieto, mas é da base e não deve fugir da votação.

José Ferreira de Menezes Filho, o Zé Menezes (PSL) - Faz parte da base aliada. Deve votar contra a CP de Herval por um motivo muito simples. Também foi condenado em primeira instância por falsificação de diploma e em nenhum momento qualquer vereador se manifestou para arguir seu decoro parlamentar. Já em relação ao projeto de concessão do Daem, vai “obedecer” o que for determinado pela bancada.

4. José Ferreira de Menezes Filho, o Zé Menezes (PSL)

Faz parte da base aliada. Também votou contra a CP de Herval por um motivo muito simples. Também foi condenado em primeira instância por falsificação de diploma e em nenhum momento qualquer vereador se manifestou para arguir seu decoro parlamentar. Já em relação ao projeto de concessão do Daem, “obedeceu” o que foi determinado pela bancada.

Luiz Eduardo Nardi (PR) - Faz parte da base aliada e tem longa data de amizade com Abelardo Camarinha, pai de Vinícius Camarinha. Homem da mais extrema confiança da família. Vai votar contra a CP por entender que Herval ainda está com sua situação sob judice. Em relação a concessão do Daem, vai seguir a orientação do prefeito. Aliás, já até se posicionou em relação a questão, sem antecipar o voto, mas defendendo a necessidade de investimentos.

5. Luiz Eduardo Nardi (PR)

Faz parte da base aliada e tem longa data de amizade com Abelardo Camarinha, pai de Vinícius Camarinha. Homem da mais extrema confiança da família. Votou contra a CP por entender que Herval ainda está com sua situação sob judice. Em relação a concessão do Daem, seguiu a orientação do prefeito. Aliás, já até se posicionou em relação a questão, sem antecipar o voto, mas defendendo a necessidade de investimentos.

Marcos Custódio (PSC) - Faz parte da base aliada de “contragosto”. Após ser eleito confidenciou aos amigos mais próximos que seria “obrigado” a ser da base, para conseguir aprovar os projetos de sua comunidade religiosa. Pode até votar a favor da CP de Herval, pois não tem muito o que perder neste caso. Mas em relação a concessão do Daem, deve dizer “amém” ao que determinar a base. Afinal, seu reduto eleitoral ainda tem projetos a serem desenvolvidos e um voto contra a administração pode fazê-lo ficar sem argumentos para a reeleição.

6. Marcos Custódio (PSC)

Faz parte da base aliada de “contragosto”. Após ser eleito confidenciou aos amigos mais próximos que seria “obrigado” a ser da base, para conseguir aprovar os projetos de sua comunidade religiosa. Não votou a favor da CP de Herval. Em relação a concessão do Daem, disse “amém” ao que determinou a base. Afinal, seu reduto eleitoral ainda tem projetos a serem desenvolvidos e um voto contra a administração poderia fazê-lo ficar sem argumentos para a reeleição.

Marcos Rezende (PSD) - Tem histórico de animosidade com Abelardo Camarinha, mas “relevou” em função do deputado federal Walter Ihoshi (PSD) e de suas próprias pretensões políticas. Considera com chances de vir a ser candidato a vice de Vinícius Camarinha, em 2016. É vice-presidente de Herval e não deve votar contra o presidente, portanto, vai rejeitar a CP. Em relação ao Daem, vai seguir a orientação de Vinícius e votar favoravelmente.

7. Marcos Rezende (PSD)

Tem histórico de animosidade com Abelardo Camarinha, mas “relevou” em função do deputado federal Walter Ihoshi (PSD) e de suas próprias pretensões políticas. Considera com chances de vir a ser candidato a vice de Vinícius Camarinha, em 2016. É vice-presidente de Herval e não votou contra o presidente, portanto, rejeitou a CP. Em relação ao Daem, seguiu a orientação de Vinícius e votou favoravelmente.

Samuel Ferreira de Menezes, o Samuel da Farmácia (PR) - Irmão de Zé Menezes, também deve seguir a cartilha da bancada. Não vai votar a favor da CP, porque tem o irmão em situação quase parecida e numa eventual CP contra o irmão, teria de ter a mesma postura. Em relação ao projeto de concessão do Daem, vai seguir a cartilha da bancada. Vai votar a favor.

8. Samuel Ferreira de Menezes, o Samuel da Farmácia (PR)

Irmão de Zé Menezes, também seguiu a cartilha da bancada. Não votou a favor da CP, porque tem o irmão em situação quase parecida e numa eventual CP contra o irmão, teria de ter a mesma postura. Em relação ao projeto de concessão do Daem, seguiu a cartilha da bancada. Votou a favor.

Silvio Sadao Harada (PR) - Faz parte da colônia japonesa e é integrante da base aliada. Também deve votar contra a CP para afastar Herval Seabra. Em relação ao Daem, está convencido de que é a melhor saída para o município. Vai votar de forma favorável ao projeto de concessão do Departamento.

9. Silvio Sadao Harada (PR)

Faz parte da colônia japonesa e é integrante da base aliada. Também votou contra a CP para afastar Herval Seabra. Em relação ao Daem, está convencido de que é a melhor saída para o município. Votou de forma favorável ao projeto de concessão do Departamento.

Sônia Maria Ribeiro Tonin, a Sônia Tonin (PSC) - É servidora municipal de carreira, diretora de escola municipal. Faz parte da mesa diretora e não vai votar contra o presidente Herval. Portanto, vai ser contra a CP e o afastamento. Em relação ao Daem, no começo da legislatura já defendia, em seus discursos na tribuna, que o Departamento não tinha fôlego para se manter. Atacava Francisco Giaxa, que era o então diretor. Chegou a fazer críticas a José Carlos Polegato, depois diminuiu a intensidade. Vai votar favorável ao projeto de concessão, seguindo o argumento da administração municipal.

10. Sônia Maria Ribeiro Tonin, a Sônia Tonin (PSC)

É servidora municipal de carreira, diretora de escola municipal. Faz parte da mesa diretora e não votou contra o presidente Herval. Portanto, foi contra a CP e o afastamento. Em relação ao Daem, no começo da legislatura já defendia, em seus discursos na tribuna, que o Departamento não tinha fôlego para se manter. Atacava Francisco Giaxa, que era o então diretor. Chegou a fazer críticas a José Carlos Polegato, depois diminuiu a intensidade. Votou favorável ao projeto de concessão, seguindo o argumento da administração municipal.

Quem são os 3 vereadores municipais do bordão 10×3:

1. Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa (PT)

Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa (PT) Pode votar pela Comissão Processante, para que Herval deixe a Mesa Diretora e também deve votar contra a concessão do Daem à iniciativa privada. Está cumprindo seu primeiro mandato e tem como reduto eleitoral a zona norte de Marília.Votou pela Comissão Processante, para que Herval deixe a Mesa Diretora e também votou contra a concessão do Daem à iniciativa privada. Está cumprindo seu primeiro mandato e tem como reduto eleitoral a zona norte de Marília.

 

2. Mário Coraini Júnior (PTB)

Mário Coraini Júnior (PTB) - Tem histórico de confrontos com Abelardo Camarinha e agora com o filho, Vinícius Camarinha. Deve votar pela CP, sob o argumento de que moralmente Herval não deveria ficar, mas juridicamente está amparado. Em relação a concessão do Daem, também deve ser contra, usando como argumento que tem “conhecimento de causa”, por já ter sido diretor do Daem. Mas não se tem notícia se, enquanto diretor do Daem, conseguiu recuperar os débitos que o departamento tem.

Tem histórico de confrontos com Abelardo Camarinha e agora com o filho, Vinícius Camarinha. Votou pela CP, sob o argumento de que moralmente Herval não deveria ficar, mas juridicamente está amparado. Em relação a concessão do Daem, também foi contra, usando como argumento que tem “conhecimento de causa”, por já ter sido diretor do Daem. Mas não se tem notícia se, enquanto diretor do Daem, conseguiu recuperar os débitos que o departamento tem.

3. Wilson Alves Damasceno, o Delegado Damasceno (PSDB)

Wilson Alves Damasceno, o Delegado Damasceno (PSDB) - Como integrante da oposição, já afirmou que defende o afastamento de Herval Seabra, por uma questão moral. Dessa forma, deve votar favorável à CP. Em relação ao Daem, é contra a concessão e já anunciou que vai propor uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar os pagamentos referentes a obra do esgoto, que estão paralisadas. Desta forma, ele vai votar contra.

Como integrante da oposição, já afirmou que defende o afastamento de Herval Seabra, por uma questão moral. Dessa forma, votou favorável à CP. Em relação ao Daem, é contra a concessão e já anunciou que vai propor uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar os pagamentos referentes a obra do esgoto, que estão paralisadas. Desta forma, ele votou contra.

Entre na conversa...