24 de June de 2019

Trimestre marca crescimento de 61% ao SCPC da Acim

Libânio Victor Nunes de Oliveira, presidente da Acim, presidente da ACIM
Libânio Victor Nunes de Oliveira, presidente da Acim.

Os três primeiros meses do ano de 2015 registram um crescimento de 61,11% no número de CPFs incluídos ao banco de dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), na soma dos nomes incluídos nos meses de janeiro, fevereiro e março. “Isto quer dizer que consumidores não estão conseguindo quitar as dívidas”, lamentou o presidente da associação comercial, Libânio Victor Nunes de Oliveira ao observar os dados apresentados pela estatística do órgão consultivo. “Havendo crescimento de 61% nas inclusões, foram apenas 0,75% das exclusões”, comparou o dirigente preocupado com a situação. “Isto faz com que o comerciante fique mais retraído, menos motivado e já se preocupa com as tendências nos próximos meses”, disse em tom de preocupação.

Dos três meses do ano o mês de fevereiro foi o que mais inclusões ocorreram, numa elevação de 105,47% comparado com o mês de fevereiro do ano passado. Este ano foram incluídos 2.928 CPFs, diante dos 1.425 registrados no ano passado. No mês passado foram incluídos ao banco de dados do SCPC da Acim 2.871 nomes, com 64,72% de aumento com o mesmo mês do ano passado, com 1.743 registros de CPFs incluídos. “Em janeiro houve uma elevação de 17,5% no número de pessoas incluídas na lista de inadimplentes”, apontou Libânio Victor Nunes de Oliveira que considera perigoso a manutenção desses índices. “O comerciante é o que mais perde, pois, além de ficar sem o dinheiro correspondente ao produto ou serviço, ainda fica sem o produto”, falou. “O comerciante perde duas vezes”, completou o dirigente que não acredita em melhora a curto prazo. “Pelas demonstrações do Governo Federal, a situação não é animadora”, reclamou.

No total foram incluídos neste ano 7.672 CPFs, com 1.873 registros em janeiro, 2.928 em fevereiro e 2.871 em março. No ano passado foram apenas 4.762 CPFs registrados no trimestre, com 1.594 registros em janeiro, 1.425 registros em fevereiro e em março foram 1.743 CPFs incluídos no banco de dados do SCPC da Acim. “Infelizmente são números ruins, afinal, a inadimplência vai paralisando o poder de compra do consumidor e o poder de venda do comerciante”, lamentou Libânio Victor Nunes de Oliveira que aposta nos sorteios de prêmios para os consumidores, como forma de reverter o quadro. “É preciso haver estímulo de ambos os lados”, ensinou. “O comerciante não pode se desanimar, e o consumidor necessita estar animado para as compras”, ressaltou o dirigente mariliense.

A consequência de ser incluído ao banco de dados do SCPC da Acim é ficar com restrição ao crédito em todo o território nacional, por ser um sistema nacionalizado. “Uma vez com débito no comércio de Marília, o inadimplente fica sem condições de comprar pelo crediário em qualquer lugar do Brasil”, enfatizou o presidente da Acim ao sugerir acordos entre as partes. “Ninguém tem interesse em ficar inadimplente”, acredita. “O credor quer liquidar a dívida e o devedor quer paga-la para voltar a ter condições de compra”, opinou Libânio Victor Nunes de Oliveira ao avaliar os dados de monitoramento do órgão consultivo. “Elevação da inadimplência não tem a ver com o volume de vendas, afinal, o consumidor pode comprar através do dinheiro e dos cartões de débito, crédito e benefícios”, explicou.

Entre na conversa...