19 de May de 2019

Agronegócio: abertura da 10ª Coopershow em Cândido Mota

CÂNDIDO MOTA 

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, participou da abertura da 10ª edição da Coopershow, em Cândido Mota | Foto: Assessoria de Comunicação da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, participou da abertura da 10ª edição da Coopershow, em Cândido Mota | Foto: Assessoria de Comunicação da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Nos dias 27, 28 e 29 de janeiro a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), vinculada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, participou, pela primeira vez, por meio da CATI Regional Assis, da Coopershow, um evento que contou com estandes das principais empresas do setor do agronegócio ligadas às culturas de soja, milho, trigo e cana-de-açúcar. Em sua 10ª edição, a Coopershow realizada pela Cooperativa Agroindustrial Coopermota, reuniu inúmeros representantes de empresas de defensivos agrícolas, sementes, máquinas agrícolas, irrigação entre outras.

10ª COOPERSHOW

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, afirmou aos produtores rurais de Cândido Mota e da região do Paranapanema, que o atual momento de crise econômica vivenciado pelo Brasil é a reafirmação prática de que a vocação do País está ligada ao campo, à produção e à agricultura.

DEZ POR CENTO

A participação do agronegócio brasileiro no comércio mundial saltará de 7,04% para 10% até 2018. A meta foi anunciada dia (29) pela ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) durante entrevista coletiva à imprensa. O crescimento das exportações do setor, afirmou, será baseado em garantias sanitárias, produtividade e conquista de novos mercados. Para responder por 10% de todo o comércio agrícola no mundo – que em 2014 alcançou US$ 1,17 bilhão –, o Brasil continuará investindo em negociações comerciais e sanitárias com os 22 principais mercados internacionais que, juntos, representam 75% da atividade comercial mundial.

PISCICULTURA

O Estado de São Paulo terá, a partir de março de 2016, um curso de criação de tilápia em tanques escavados e tanques-rede, o primeiro voltado à piscicultura e aquicultura que será oferecido na Escola Técnica Estadual (Etec) “Professor Luiz Pires Barbosa”, em Cândido Mota. Em visita às instalações da unidade, no dia 27 de janeiro, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, mostrou-se entusiasmado com a iniciativa, umas das ações do convênio firmado com o Centro Paula Souza para a transferência das tecnologias obtidas por meio da pesquisa pelos institutos da Pasta.

NOVIDADE BOA

Uma das fases cruciais na produção da banana com qualidade e quantidade é o desperfilhamento ou desbrota da bananeira, trabalho que consiste na eliminação dos brotos (perfilhos) que nascem em abundância em cada touceira. Para essa atividade, um equipamento inovador está entrando no mercado brasileiro no primeiro semestre de 2016. Desenvolvido por uma equipe de pesquisadores da Embrapa Amazônia Ocidental (AM), o desperfilhador por roto-compressão facilita o trabalho do agricultor, por ser mais ergonômico e eficiente do que a “Lurdinha” – ferramenta utilizada em todo o País desde a década de 1970. Em testes realizados no Município de Presidente Figueiredo (AM), em área de produtores de banana, o novo equipamento apresentou eficiência 20,35% maior na eliminação total dos perfilhos, se comparado à “Lurdinha”. Com o desperfilhador por roto-compressão, apenas 0,73% de uma mostra de mil perfilhos voltaram a brotar. O percentual de rebrota com a “Lurdinha” chegou aos 22,52%.

EMBRAPA

A presidenta da República, Dilma Rousseff, reconduziu o pesquisador Maurício Antonio Lopes ao cargo de presidente da Embrapa. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União de sexta-feira (29). Maurício Lopes iniciou sua gestão como presidente da Embrapa em outubro de 2012.

EQUILIBRIO

Apesar das chuvas isoladas na semana passada em parte das regiões produtoras de mandioca, a colheita não foi prejudicada. Agricultores seguem com interesse pela comercialização, principalmente de raízes de segundo ciclo ou mais. Com isso, a oferta voltou a aumentar, assim como a quantidade de matéria-prima processada nas fecularias.

Dê sua opinião: agronegocio2@hotmail.com. Boa semana e um forte abraço.

Entre na conversa...