13 de November de 2018

Agronegócio: o SIF – Serviço de Inspeção Federal, está fazendo 100 anos

O SIF - Serviço de Inspeção Federal está fazendo 100 anos - Foto: Assessoria de Comunicação Social / MAPA

100 ANOS DO SIF

Para comemorar o centenário do Serviço de Inspeção Federal (SIF), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) homenageou na cerimônia realizada no dia (24), quatro fiscais federais agropecuários que deram importantes contribuições para o serviço de inspeção. O ministério também premiou os estabelecimentos com registro mais antigos nas áreas de carne, pescado, ovos, leite e mel com troféu comemorativo dos 100 anos do SIF. Na cerimônia, a ministra Kátia Abreu entregou os diplomas de honra ao mérito aos fiscais federais agropecuários que trabalharam no serviço de inspeção federal pela dedicação, iniciativa e atuação, garantindo alimentos seguros para todos os brasileiros. Foi um momento de emoção para os fiscais e para as 300 pessoas que participaram da comemoração. “Estes servidores representam também todos aqueles que dedicaram sua vida profissional ao serviço de inspeção federal”, declarou Kátia Abreu.

COLABORAÇÃO

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo exportará para a Bolívia todo o know-how do sistema de fabricação de agentes de controle biológico, desde a implantação da fábrica até seu funcionamento de fato. Executada pelo Instituto Biológico (IB), da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) da Pasta, a iniciativa será implantada em Santa Cruz de la Sierra – região com grande produção de soja – pela associação boliviana Bionature SRL.

PESCA
Foi lançada, dia 26 de fevereiro, em evento realizado nas instalações do Instituto de Pesca, em São José do Rio Preto, a Frente Parlamentar em Prol da Pesca e Aquicultura. O objetivo da Frente é apurar as necessidades do setor de pesca e aquicultura, promover debates, audiências e demais ações de incentivo aos pescadores e investidores no ramo a fim de fortalecer a atividade no Estado de São Paulo. A Frente tem como coordenador o deputado Sebastião Santos, e mais cinco membros efetivos, além de 21 deputados apoiadores. O lançamento dessa nova Frente Parlamentar foi logo após a reunião da Câmara Setorial da Pesca e Aquicultura e reuniu pesquisadores, técnicos e representantes das atividades.

CAR
O prazo para realizar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) termina no dia 6 de maio de 2016. De acordo com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, até o momento, 222.879 imóveis foram inscritos no Sistema de Cadastro Ambiental Rural no Estado de São Paulo (Siscar-SP), o que corresponde a 12.670.153,04 hectares (61,79% da área cadastrável). O cadastro é obrigatório para que o produtor rural adere o Programa de Regularização Ambiental (PRA), regulamentado pelo governador Geraldo Alckmin, no dia 12 de janeiro de 2016, por meio do Decreto n° 61.792, estabelecendo todas as regras para sua plena implantação.

LEGISLAÇÃO
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) abriu no dia (25) consulta pública de 60 dias para que a sociedade envie sugestões ou comentários à proposta que altera normas exigidas a pequenas agroindústrias de mel, ovos de galinha e de codorna e derivados. A pasta vai adequar a legislação atual para dar segurança jurídica aos pequenos agricultores e, ao mesmo tempo, garantir segurança e inocuidade aos alimentos.

SIF VEGETAL
O Ministério da Agricultura encaminhará projeto de lei para instituir a inspeção de produtos vegetais dentro das fábricas e não apenas do alimento final que chega ao consumidor. A medida foi anunciada durante evento de comemoração ao centenário do SIF, promovido pelo Mapa. Na área vegetal, o Mapa fiscaliza hoje apenas a qualidade do alimento já ofertado ao consumidor e não a forma como ele é produzido, diferentemente dos produtos de origem animal – os quais são inspecionados ainda dentro das fábricas.

SOJA
As recentes precipitações no Brasil, além de terem interrompido a colheita da soja em algumas regiões acompanhadas pelo Cepea (usp Piracicaba), geraram preocupações quanto a doenças e também quanto ao impacto nas lavouras prontas para a colheita. O excesso de umidade elevou o número de fungos e produtores temem por grão ardido, principalmente nas regiões do Sul do Brasil, onde as chuvas foram mais intensas.

CHUVAS
As chuvas tem prejudicado a colheita de raiz de mandioca em muitas regiões acompanhadas pelo Cepea. Ao mesmo tempo, na expectativa de altas ainda mais expressivas nos preços, parte dos agricultores continuou com pouco interesse pela comercialização. Assim, enquanto a oferta de mandioca esteve baixa, a demanda industrial seguiu firme, tanto por parte da indústria de farinha quanto por parte de fecularias.

Email: mauricio.picazo.galhardo@hotmail.com. Boa semana e um forte abraço.

 

Entre na conversa...