18 de July de 2018

Incerteza da condição humana é tema de exposição de André Bergamin em SP

Foto: André Bergamin / Reprodução
Foto: André Bergamin / Reprodução

A Galeria Recorte inaugura no dia 6 de julho, a partir das 19hs a sua mais nova exposição, intitulada “Entre o Êxtase e a Demência”, do artista visual André Bergamin. Em sua produção atual, o artista consciente de que o vínculo entre o homem e mundo se perdeu, opta justamente por não retratar mais o mundo, mas sim o vínculo desfeito, e o faz a partir de retalhos.

As obras de Bergamin são compostas por fragmentos que sugerem ritmo e movimento. Cada imagem é como um retrato instantâneo de um universo sem sentido e em expansão. O caráter ilógico desses universos retratados é resultado do processo de criação do artista que combina imagens previamente recortadas de forma aleatória e livre de narrativas para que da interação entre as partes surja de forma espontânea.

“Eu cresci no meio de reproduções do Volpi. Faz pouco que eu percebi o quanto eu era influenciado pela ideia de movimento dessas bandeirinhas que eu acabei incorporando com panos, pedras e outros elementos voadores”, afirma o artista, ao falar sobre as suas influências.

O nome da exposição – que também é título de uma das obras em cartaz – sugere um estado de incerteza da condição humana e revela a natureza ocasional de sua produção artística. A identificação das obras também é feita de forma casual: após cada trabalho estar finalizado, o artista elege frases randômicas de livros que estão ao seu alcance para nomear suas criações.

Esse método reforça a ideia de desconexão entre cada parte dos elementos que ele usa para compor as obras de arte. “Acredito que há uma violência no ato de cortar. É quase uma perversão manifesta quando monto algo novo, vivo, feito de imagens desmembradas. Há alguma coisa de fundamentalmente subversiva em tudo isso que vai bastante ao meu encontro”, completa.

A curadoria da exposição é de Francisco Ribeiro. Curador independente e produtor cultural, Francisco colabora desde 2009 com a Galeria Fita Tape, além de integrar a equipe de programação artística do Theatro São Pedro (RS).

Sobre o artista

André Bergamin é artista visual autodidata e dono de humor tão afiado quanto a lâmina do seu estilete. Para ele, a colagem está em toda parte, pois acredita que vivemos experiências fragmentadas que são justapostas em nossas mentes. Radicado em Porto Alegre, Bergamin tem participado de exposições em cidades como Toronto, Nova Iorque, Barcelona. Ainda este ano suas obras devem integrar uma exposição coletiva em Trondheim, na Noruega.

Entre na conversa...