22 de August de 2018

Soluções para um varejo em crise, por Bruno Caetano

Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP
Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP

Todos os dias vemos notícias sobre como a crise econômica está afetando os pequenos negócios no Brasil. Aqueles segmentos que dependem diretamente do poder de compra do consumidor são os mais afetados. Recentemente, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou uma pesquisa mostrando que as vendas no comércio varejista brasileiro fecharam o ano de 2015 com queda de 4,3%. Esse é o pior resultado registrado desde que o IBGE começou a fazer esse levantamento, em 2001.

Se as pessoas estão perdendo emprego ou vendo que as contas do dia a dia estão ocupando uma fatia cada vez maior do orçamento, é natural que elas procurem cortar custos nas compras, especialmente aquelas que podem esperar um pouco mais – não por acaso, o setor mais prejudicado foi o de móveis e eletrodomésticos.

Até que o cenário econômico volte a dar sinais de recuperação, cabe ao proprietário de micro e pequena empresa do comércio varejista priorizar a organização financeira e o planejamento. Medidas mais radicais para cortar custos, como demitir funcionários, não devem ser a primeira opção.

Antes disso, é preciso colocar os gastos na ponta do lápis: há compromissos com bancos que podem ser renegociados com taxas mais vantajosas? Dívidas pessoais com cartão de crédito ou cheque especial estão corroendo o caixa da empresa? Se for esse o caso, apresente um planejamento aos credores e mostre que você está disposto a levar essa renegociação a sério. Analise também se é possível cortar gordura com as contas de consumo: veja se há um plano de telefone fixo e celular que atende melhor ao seu perfil e procure checar se não está havendo desperdício de água e luz.

E, acima de tudo, conquiste seus clientes nos detalhes. Para quem trabalha no varejo, o fundamental nesse momento de crise é não perder vendas por falta de jogo de cintura. Regras imutáveis, como “só parcelo acima de tal valor”, estão com os dias contados. Mostre ao cliente que você se importa com as necessidades dele: ofereça opções mais vantajosas, dê descontos maiores no pagamento à vista, entregue encomendas em menos tempo.

Para uma orientação completa, o Sebrae-SP mantém uma equipe de consultores em todo o Estado de São Paulo voltado para atender os donos de pequenos negócios. Não hesite em nos procurar.

Entre na conversa...