Veja aqui seis dicas para fugir da intoxicação alimentar na praia e garantir seu lugar ao sol

Porções de vegetais e frutas frescas são uma ótima opção para saciar a fome e manter a hidratação - Foto: Divulgação

A chegada do Verão abriu oficialmente a temporada de praias no Brasil, mas como se alimentar nas areias sem medo de ter uma intoxicação alimentar e passar férias que merecem ser esquecidas? A nutricionista Etelma Rosa, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, listou dicas para quem quer se alimentar bem e ter apenas boas lembranças do litoral.

O próprio ambiente da praia já é propício à contaminação dos alimentos devido à areia e ao calor – por isso é muito importante se atentar para o que será consumido nas barracas e carrinhos. Com a temperatura elevada, o índice de contaminação é maior. Em temperatura ambiente as bactérias já se proliferam mais rápido porque o alimento não está em temperatura adequada de refrigeração e, no calor, essa proliferação é acelerada.

“Tem muitas coisas que você pode levar e que saciam a fome”, sugere Etelma, que atua no Centro de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Cesans) da Secretaria. Um clássico, o queijo coalho entra na mira da nutricionista: “é um perigo. Meu Deus! Não é porque está ali na brasa que está tudo bem, que mata as bactérias. Na verdade, esse queijo está exposto à contaminação”.

Para não correr esse risco e não ficar à mercê de produtos que podem ser perigosos, é melhor levar seu próprio alimento ou optar por produtos que sejam bem embalados e corretamente armazenados. E é sempre melhor escolher  alimentos mais frescos e que hidratem.

“Não é vergonha nenhuma ir à praia com sacola. Vergonha é ter uma gastroenterite e perder a praia, não aproveitar nada porque você pegou uma intoxicação. Hoje em dia tem tantas frasqueiras bonitinhas. É questão de a pessoa se abrir para isso, não ter preconceito”, indica Etelma.

Cuidados com comidas de praia

– Evite alimentos gordurosos (com cremes, maionese, presunto, salsicha, linguiça, bacon, entre outros).

– Alimentos proteicos como iogurtes e bebidas lácteas devem ser armazenados em frasqueiras térmicas para mantê-los refrigerados.

– Abuse de frutas ricas em água e nutrientes como: maçã, pera, melancia, melão, abacaxi, ameixa, uvas, mexerica (que podem ser divididas em porções ou em potinhos e guardadas em caixa de isopor com gelo para mantê-las frescas).

– É interessante manter garrafinhas térmicas com sucos naturais de frutas como melancia, melão ou chás gelados, água de coco e água mineral.

– Biscoitos água e sal ou integrais, torradinhas, pães suecos, palitos com gergelim, granola salgada são boas opções para saciar a fome, por serem ricos em carboidratos. Evitando-se assim, salgadinhos de pacote que contêm muito sódio, gordura e corantes ou frituras vendidas na praia, sem o devido acondicionamento

– Se quiser algo ainda mais saudável, cortar palitos de cenoura ou cenoura baby, pedacinhos de coco, frutas secas como ameixa, damasco, banana-passa, uva-passa e maçã desidratada.

Entre na conversa...