21 de August de 2019

Aposentado transformou lixo e mato em horta na Zona Oeste de Marília

Davi Porto do Nascimento, 59 anos, aposentado. Foto: Felipe Bravo.
Davi Porto do Nascimento, 59 anos, aposentado e morador na zona Oeste. Foto: Felipe Bravo.

É muito comum vermos mato, lixo, entulhos de restos de construção e até móveis velhos jogados nas beiras de rodovia. Em Marília isso não é diferente. Em uma cidade cortada por rodovias e com graves problemas sociais, infelizmente essa cena é comum e é difícil achar um único culpado entre o poder público e os péssimos hábitos da população.

O problema é que um ambiente que parece estar abandonado é mais comum as pessoas pouco se importarem. Pior, é mais comum elas também contribuírem com mais degradação. É isso o que diz a teoria das Janelas Quebradas, de James Wilson e George Kelling, especialistas em análise de comportamento no campo da psicologia.

Incomodado com uma situação dessas próximo de sua casa, Davi Porto do Nascimento, 59 anos, aposentado da iniciativa privada e atualmente servidor público municipal, resolveu colocar a mão na massa ao invés de ficar só reclamando. Morador do Jardim Cavalieri I, na zona Oeste de Marília, Davi começou a cultivar um espaço degradado perto de sua casa como um modo de relembrar os tempos que morava no sítio e de colocar em prática o seu conhecimento.

No fim de 2015, ele começou a limpeza de uma área na beira da Rodovia do Contorno. Primeiro limpou a terra, o que lhe causou certo prejuízo com alguns equipamentos danificados pelo mato alto. Depois recolheu o lixo que outros moradores haviam jogado na beira da rodovia. Por fim, apesar da descrença de alguns sobre a fertilidade da terra naquela espaço, ele iniciou a plantação em aproximadamente 200 metros quadrados. Com muita motivação, ele plantou sementes de milho, ramas de mandioca e, com um pouco de terra preta, fez uma horta que já deu alface e couve.

Falando ao Marília Global, Davi disse que “o que está sendo cultivado naquele espaço é de todos que tiverem interesse”. Ele também disse que não tem medo de furtos e não quer lucrar com isso. O seu objetivo é utilizar seu tempo livre e seu conhecimento para melhorar o local onde mora, com a organização do espaço e convivência social.

Se você conhece alguma história como essa, de pessoas que se dedicam à comunidade onde vivem, entre em contato comigo pelo e-mail novasideias@felipebravo.com.br

Para conhecer mais a teoria das Janelas quebradas acesse: http://drauziovarella.com.br/drauzio/janelas-quebradas/

Entre na conversa...