20 de October de 2019

Nem tão feminino nem tão masculino, resoluções de 2016?

Modelos da marca de Presidente Prudente, New Order. Foto: Divulgação.
Modelos da marca de Presidente Prudente, New Order. Foto: Divulgação.

Calma gente, não estou surtando. Não vou falar de mudança de sexo, nada disso. Vamos falar de uma tendência que os jovens estão começando a adotar. Provavelmente aqui no Brasil isso só acontece nos grandes centros, mas sempre tem algum revolucionário em todas cidades. Falo isso por experiência própria, pois eu já fui um estranho em minha cidade.

Ja há algum tempo o mundo tem visto muitas mudanças: a liberação feminina, o movimento GLBT, que é o movimentos dos gays e lésbicas, transgêneros e demais. Na moda todos vão se lembrar da Lea T, que causou rebuliço como top model e marcou uma época com uma nova visão sobre gêneros dentro da moda.

E temos uma profusão de modelos andróginos, meninos com cara de menina, e vice versa. Aqui no Brasil podemos citar o modelo Goan Fragos , mas isto não é necessariamente o que define essa novidade na moda.

Nos deparamos agora com uma geração que não gosta de ser rotulada, a gender blur ou gênero neutro. Vi uma pesquisa sobre jovens entre 18 e 24 anos que não se veem nem como homossexuais e nem como heterossexuais, e esta nova forma de ver o mundo esta sendo cada vez mais aceita. O mundo da moda reflete tudo isto.

Sempre as mulheres ousaram mais neste campo. Elas roubaram para o seu guarda roupa varias peças do vestuário masculino, porém os homens na cultura ocidental tem muito pouca liberdade de fazer uso de qualquer coisa que faça parte do universo da mulher. Um homem usando saia, por exemplo, por mais que já se viu nas passarelas milhares de vezes, ainda é um tabu imenso… E este universo de liberdade na moda é chamado de Free Gender.

Esta moda é muito mais ligada em ideias e filosofia e muito menos nos nossos pré-conceitos. Trata-se de uma geração que sente necessidade de passar uma mensagem também no jeito de se vestir. Esta moda se expressa no uso de materiais até então tidos como do universo feminino, como as rendas, uso das formas, mais amplas e confortáveis.

No Brasil podemos exemplificar com alguns estilistas que já traduzem nas suas roupas este universo, pelo menos uma brisa desses novos ares. Estou falando de Rober Dognani e Felipe Fanaia, com suas camisetas amplas e vestidos de formas livres.

Mais recente temos a marca de Presidente Prudente que traz uma coleção completa com pecas incríveis que tanto meninas como meninos vão enlouquecer pra ter – pelas estampas, pelo conforto, tem cara de metrópole, modernidade… Estou falando da New Other, marca dos estilistas Giuliano Mazeti e Leonam Dantas.

Modelos da marca de Presidente Prudente, New Order. Foto: Divulgação.
Modelos da marca de Presidente Prudente, New Order. Foto: Divulgação.

O mundo corre, e durante muito tempo se deu valor a posição social, ao dinheiro, enfim, talvez nos perdemos de nós mesmos. Mas eu acho que esta geração que preza pelo indivíduo, que afirma que a individualidade de cada um é mais importante, para eles as experiências de vida tem a mais valor do que a posse de bens.

Talvez possa ser só um momento no crescimento de cada um, já que em algum momento nós temos de assumir responsabilidades, trabalhar pra poder dar sustento para a família e, aí, passamos a ver o mundo de outra forma. Mas o mais importante é que a grande maioria de nós já foi revolucionário e sonhador em algum momento de nossas juventudes.

À mudança e aos sonhadores, são boas resoluções de Ano Novo. Feliz 2016 a todos.

Entre na conversa...